Perícia aponta suposto assassinato de boxeador

Uma investigação paralela feita por peritos americanos e canadenses sobre a morte do boxeador canadense Arturo Gatti pode provocar uma reviravolta no caso. Gatti morreu em julho de 2009 em Porto de Galinhas, Pernambuco. Tratado como suicídio pela Polícia Civil, o caso é apontado pelos investigadores estrangeiros como assassinato. Segundo a nova versão, anunciada nos Estados Unidos, a vítima tinha marcas na nuca compatíveis com pancadas, que teriam sido provocadas antes do suposto enforcamento.

, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.