'Perdi meu parceiro no futebol', diz pai

Abalado pela morte do filho Carlos Eduardo dos Santos, de 20 anos, vítima da noite de terror no Jardim Guarani, o gráfico Admilson Tomé dos Santos, de 45 anos, lembra-se de cada minuto daquele dia. Ligou para Duda, como era chamado, às 21h13, e ele ainda malhava. Depois, ligou às 21h15 e às 21h21, quando Duda disse que ia para casa. O pai foi preparar o jantar. Voltou a chamar Duda às 22h18, mas o filho não respondeu. Em seguida, um vizinho bateu no portão para dar a notícia. "Perdi o meu parceiro do futebol", disse Santos. "Era um menino sem maldade", disse a vizinha Benedita dos Santos, de 68 anos. / P.P.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.