Pequim: turista pode ficar até 72h sem visto

Medida vale a partir de 1º de janeiro, mas só para passageiro brasileiro em trânsito

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2012 | 23h49

Turistas brasileiros que queiram passar até três dias em Pequim, na China, já podem fazê-lo sem precisar de visto. A decisão foi tomada ontem pelo governo chinês e vale a partir de 1.º de janeiro. Não é possível ir para qualquer outra cidade da China nem ultrapassar o limite de 72 horas - a regra é chegar e sair por Pequim.

A facilidade também só vale para turista em trânsito, que esteja em viagem para um terceiro país além da China e do seu de origem. Por exemplo: um brasileiro que vai ao Japão pode decidir passar uns dias em Pequim. No aeroporto, bastará apresentar o visto para o Japão e um comprovante do bilhete aéreo de ida e volta e solicitar o visto de trânsito por 72 horas. O pedido deve ser feito nas primeiras 24 horas na capital chinesa e, obrigatoriamente, na polícia do Aeroporto Internacional de Pequim.

A medida vale para 45 países - além do Brasil, Argentina, Chile, Austrália, México, França e Alemanha também foram beneficiados, entre outros. Os locais foram escolhidos com base em uma pesquisa feita entre 2009 e 2011 com visitantes que passaram apenas uma noite em Pequim - a maioria dos turistas com esse perfil vinha do Brasil e dos outros 45 países.

Por ano, Pequim recebe 5 milhões de turistas estrangeiros. A ideia é dobrar esse número em três anos e consolidar a capital da China como hub (ponto de distribuição de passageiros em voos de conexão). Hoje, Tóquio e Seul são os maiores hubs da Ásia, segundo a companhia aérea Air China.

Nos EUA. Turistas brasileiros que fazem conexão em qualquer aeroporto americano precisam ter visto - mesmo que o destino final da viagem não seja os Estados Unidos e a pessoa não saia do aeroporto. O Canadá faz a mesma exigência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.