Reprodução
Reprodução

'Pensei que eram mansinhos, mas levei uma baita surra'

Atração de Araçoiaba da Serra, onde vive, homem que foi parar no hospital após nadar com primatas agora se diz arrependido

José Maria Tomazela, SOROCABA ,

16 Novembro 2011 | 03h01

João Leite dos Santos, de 54 anos, o mecânico que no domingo apanhou de macacos-prego no zoológico de Sorocaba, virou atração em Araçoiaba da Serra, cidade vizinha, a 123 km de São Paulo.

As imagens da agressão, gravadas por visitantes, ainda circulam pela internet. Amigos, vizinhos e curiosos foram à casa de Santos, uma residência simples da periferia da cidade, para visitar o "domador de macacos", como o chamam de brincadeira.

"Pensei que eram mansinhos", diz Silva, que no domingo, embriagado, pulou a cerca, entrou na água e caminhou até a ilha dos primatas, no lago do zoo. Atacado a mordidas e arranhões, foi salvo por frequentadores e precisou ser levado ao Hospital Regional de Sorocaba. Ontem, ele exibia curativos no braço, nas costas e até no dedo. A Secretaria do Meio Ambiente de Sorocaba informou que vai reforçar a sinalização nos recintos de todos os animais do zoológico.

O que o levou a entrar no recinto dos macacos? Pensei que eram mansinhos. Queria só brincar com eles, mas o mais esperto deu um salto e me pegou. Aí os outros vieram. Levei uma baita surra. Sempre que posso eu vou no Quinzinho (Quinzinho de Barros é o nome oficial do zoológico de Sorocaba), mas nunca tinha feito isso de mexer com macaco antes.

Testemunhas disseram que o senhor estava embriagado. Bebi um pouquinho, mas não foi coisa da bebida. Estava muito calor e entrei na água. Agora estou arrependido. Não faço isso mais. Macaco, só aquele de erguer carro na minha oficina. Daqueles outros nem passo perto mais.

É verdade que senhor fugiu do hospital antes de receber alta médica? Não é verdade, tanto que peguei receita e estou tomando o remédio direitinho. Fizeram confusão com meu nome. Nem lembro quantos pontos levei. Peço desculpas para o pessoal do zoológico e do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência). Se machuquei um macaquinho, peço desculpas para ele também.

Mais conteúdo sobre:
EntrevistamacacoSorocabaCidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.