Pelo quinto dia seguido, camelôs fazem protestos no Brás

Eles são contra o fim da emissão dos Termos de Permissão de Uso por parte da Prefeitura de São Paulo

Ricardo Valota e Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

24 de agosto de 2007 | 10h44

Pelo quinto dia seguido os camelôs do Brás fizeram uma passeata nas ruas do bairro, na região central de São Paulo. Eles protestam contra o fim das emissões de Termos de Permissão de Uso (TPUs). De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o grupo começou a passeata por volta das 9h15 e às 10h15 ocupava totalmente a Rua Maria Marcolina, próximo à Rua Oriente. Um carro de som acompanhava os manifestantes. Por conta do protesto, o trânsito era complicado na região, segundo a CET. Durante a madrugada, os camelôs também protestaram pelas ruas do bairro. Gritando, apitando e batendo latas, cerca de 100 ambulantes, por volta das 6 horas desta manhã, percorriam algumas ruas, como a Oriente, Monsenhor Andrade, Muller e Henrique Dias. Até às 6 horas, policiais militares e guardas municipais não haviam registrado nenhum incidente grave e apenas acompanhavam de perto a manifestação. Os ambulantes ameaçavam a todo instante invadir o bolsão, feito pela Prefeitura para os cerca de 3.500 vendedores que receberam o TPU, mas, com a aproximação dos policiais, o grupo de dispersava. Algumas lojas que abrem às 5h30, começaram a funcionar normalmente.

Tudo o que sabemos sobre:
camelôs do Brásprotesto de camelôs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.