Pelo País, blocos tocam de música lírica a rock

Em Salvador, grupo de forrozeiros entra para o circuito oficial com 400 bailarinos

ANGELA LACERDA / RECIFE, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2013 | 02h03

Depois de virar um espécie de ídolo pela atuação como relator do processo do mensalão, o ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa virou uma das figuras mais populares deste carnaval. Teve a imagem estampada em máscaras de foliões e ontem ganhou forma de boneco gigante no tradicional desfile de Olinda. O ministro era uma das 50 personalidades históricas do mundo - como Einstein, Pelé e Michael Jackson - representadas no desfile da Apoteose dos Bonecos.

Em Olinda, também não faltou a festa do maracatu rural, que se espalhou também por outras regiões de Pernambuco, como Cidade Tabajara, Aliança, Recife e Zona da Mata. Ao todo, 110 agremiações do Estado promoveram apresentações, que se estenderão até hoje.

O carnaval pernambucano teve festas para todo tipo de folião. O Bairro do Recife Antigo, onde estão três polos do carnaval, virou um grande salão de carnaval, com crianças, jovens e idosos. Na noite de anteontem, enquanto as crianças participavam de brincadeiras ou dançavam o frevo no polo do Arsenal da Marinha, no Paço Alfândega - cujo forte é a música eletrônica -, o bloco Quanta Ladeira, criado por Lenine e Lula Queiroga, fez a festa de uma multidão com paródias críticas, muitas delas impublicáveis, de músicas conhecidas. Pelas ruas do bairro, ainda desfilaram ontem blocos líricos.

Já o palco do Marco Zero teve a animação de Zeca Baleiro, Titãs e Paulinho da Viola, que foram alguns dos artistas que já se apresentaram até de madrugada. Hoje, Caetano Veloso faz o show de encerramento.

Forrozeiros. Na Bahia, um dos destaques foi o Trio do Forró, que já está tocando no circuito mais tradicional de Salvador. O bloco é formado por um time de forrozeiros, que faz mistura de ritmos. Atrás do grupo, 400 bailarinos de quadrilhas juninas dão o tom da festa e levam o colorido de suas roupas para as ruas do centro da cidade.

No Rio, as festas dos blocos continuaram com toda a força - democráticas e com ritmos ecléticos. Ontem, foi a vez de o Sargento Pimenta animar foliões ao som dos Beatles no Aterro do Flamengo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.