Pela 2ª vez, polícia flagra bingo de luxo no Itaim

Dois homens apontados como responsáveis pelo bingo foram levados para a delegacia

Ricardo Valota, estadao.com.br

28 de fevereiro de 2008 | 08h18

Um bingo montado numa mansão na região do Itaim Bibi, zona sul da capital paulista, foi novamente invadido pela Polícia Civil, desta vez na noite de quarta-feira, 27. No local, havia 70 supostos clientes, que foram ouvidos pela polícia e liberados duas horas depois. Dois homens apontados como os responsáveis pelo bingo foram levados para a delegacia. A ação policial foi feita depois de uma reportagem veiculada pelo Jornal Nacional, da TV Globo. As imagens de uma câmera escondida mostravam que a jogatina seguia solta no local, mesmo depois de a 2ª Delegacia Seccional Sul ter realizado, na terça-feira, 27, uma operação semelhante. Na mansão havia cerca de 300 máquinas de vídeo-bingo e caça-níqueis. Parte dos equipamentos ainda tinha grudado em si um aviso de lacração.  Como a polícia não tinha à sua disposição um local para guardá-las, os próprios dono e gerente da casa de jogos se comprometeram a ser os fiéis depositários delas, mas desobedeceram a ordem. Segundo o delegado Maurício Del Trono Grosche, a Subprefeitura do Butantã já havia sido solicitada para realizar uma vistoria e, se necessário, lacrar a mansão, mas até a noite de quarta ainda não o havia feito, o que permitiu os responsáveis pela jogatina a reiniciar tudo.  A polícia não tem poder de fechar o imóvel. A ação depende da subprefeitura. Em blitze como a da noite de quarta, os policiais apenas entram no estabelecimento, lacraram o maquinário, levam todos os clientes para a delegacia e obrigam os responsáveis pelo negócio a assinar um termo circunstanciado.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.