Pedreiro é acusado de matar estudante no Rio

Jovem foi encontrada morta na escola da família dela. Parentes afirmam que vítima era assediada por suspeito

, O Estado de S.Paulo

10 Março 2011 | 00h00

O pedreiro e vigia Luiz Carlos Oliveira, de 51 anos, foi preso na noite de anteontem sob acusação de ter assassinado a estudante Mariana Gonçalves de Souza, de 21 anos, em Campo Grande, na zona oeste do Rio.

Segundo informações da Delegacia de Realengo, ele confessou o crime. O corpo de Mariana foi encontrado na tarde de segunda-feira na cozinha do Centro Educacional Gonçalves Dorneles, que pertence à família dela, com marcas de espancamento e um corte profundo na garganta.

A estudante teria ido à escola durante o feriado para receber o pagamento atrasado da mensalidade de um aluno. Estudante de Contabilidade, Mariana trabalhava na instituição.

Oliveira tem uma pequena casa ao lado do colégio, em área pobre na zona oeste do Rio, e prestava serviços à família. Uma testemunha contou que viu o pedreiro entrar no prédio pouco antes de Mariana ter sido encontrada morta. No quintal, foram encontrados o celular da vítima e uma faca.

O namorado de Mariana afirmou que Oliveira costumava assediar a estudante. À polícia, o suspeito teria dito que já teve um relacionamento com a jovem, o que a família dela nega. "Estava dormindo no colégio quando fui surpreendido pela presença da Mariana. Pedi um beijo, mas ela negou. Perdi a cabeça, quebrei uma garrafa e parti para cima dela", disse Oliveira na noite de terça-feira, ao se entregar na 33.ª DP (Realengo), segundo o jornal O Dia.

O caso foi transferido para a Delegacia de Homicídios. O advogado do acusado não foi localizado. Cerca de 200 pessoas foram ontem ao enterro da jovem, no cemitério Jardim da Saudade, em Paciência, na zona oeste da capital fluminense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.