Estadão
Estadão

Pedágio sobe em média 5,29% nas rodovias do Estado de São Paulo

Maior reajuste, de 6,97%, valerá para as praças administradas pela Ecopistas, responsável pelo corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

27 de junho de 2014 | 18h10

SOROCABA - As tarifas de pedágio vão subir em média 5,29% a partir de 1º de julho nas rodovias concedidas à iniciativa privada no Estado de São Paulo. O porcentual aplicado sobre a tarifa atual tem variação de acordo com o tempo de contrato. O maior reajuste, de 6,97%, valerá para as praças administradas pela Ecopistas, responsável pelo corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto. Já para os pedágios da SPMar, que atende o Rodoanel, o aumento será de 3,51%, o menor índice.

O índice médio, divulgado nesta sexta-feira, 27, pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), está abaixo da inflação de 2014, que é de 6,37%. Em alguns sistemas rodoviários os índices subiram mais. Um usuário que vai de Sorocaba a São Paulo e retorna, por exemplo, pagando R$ 27,20, vai passar a pagar R$ 29,00 - o que corresponde a um aumento de 6,57%. Os usuários que percorrerem toda a Via Anhanguera, no entanto, vão pagar tarifa com reajuste médio de 5,32%.

A agência explicou que algumas praças terão reajuste zero e, em outras, o índice pode chegar a 8,57%. O índice maior será aplicado nos pedágios de Piratininga e Rancharia da Concessionária Auto-Raposo Tavares (Cart), cuja tarifa passará de R$ 3,50 para R$ 3,80. Duas praças de um mesmo sistema terão reajuste zero - Diadema e Eldorado, na Rodovia dos Imigrantes.

Em 2013, em meio às manifestações de rua, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) suspendeu o aumento que vigoraria em julho. No ano passado, o IPC-A registrou alta de 6,5% e em 2014 mais 6,37%, o que resulta, pelas contas da Artesp, numa inflação acumulada de 13,29%. "O índice de reajuste das tarifas definido pela Agência Reguladora é muito inferior à inflação do biênio, resultante de grande esforço para buscar a tarifa mais módica possível, respeitando os termos contratuais", informou a Artesp.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.