Pedágio nas estradas paulistas vai aumentar até 9,77% na sexta-feira

O governo do Estado divulgou ontem os novos valores dos pedágios das rodovias paulistas, que entram em vigor já nesta sexta-feira, dia 1.º. Os valores foram calculados com base nos índices já previstos nos contratos. E não é desta vez que o motorista vai pagar menos. A revisão prometida pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) durante campanha, em 2010, vai ficar para o próximo ano.

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2011 | 00h00

Com isso, o valor do pedágio das 12 concessões mais antigas, da década de 1990, foi reajustado novamente com base no Índice Geral de Preços (IGP-M), que normalmente fica acima dos demais. No período base para o cálculo (entre junho de 2010 e maio de 2011), o acumulado foi de 9,77%. Entram nesse índice a Bandeirantes, Castelo Branco, Anchieta e Imigrantes.

O pedágio de Caieiras da Bandeirantes, por exemplo, vai passar de R$ 6,35 para R$ 7. O da Imigrantes vai de R$ 18,50 para R$ 20,10. As outras seis rodovias, repassadas para a iniciativa privada nos anos 2000, vão continuar com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que fechou em 6,55%. Estão entre elas a Ayrton Senna e o Trecho Oeste do Rodoanel.

Uma mudança neste ano é que não serão usados valores "quebrados", voltando os arredondamentos de R$ 0,10. "Vamos retomar, pois está previsto em contrato e houve reclamações com valores quebrados", disse o secretário dos Transportes e Logística, Saulo de Castro Abreu.

Essa troca fez com que os valores pagos em quatro praças ficassem acima do previsto. Por isso, os usuários vão pagar um valor menor que o calculado na Anchieta, Imigrantes, Castelo Branco (em Itu) e Dom Thomas Vaquero (São João da Boa Vista).

O governo nega que esteja descumprindo suas promessas e afirma que o compromisso era revisar os contratos no primeiro ano e não necessariamente trocar o índice. "A revisão está sendo feita. O governador prometeu neste ano e o ano termina em dezembro", disse o secretário.

A manutenção dos índices causou indignação na oposição na Assembleia Legislativa. "Desmente a propaganda feita na campanha de que havia margem para rever os contratos", disse o líder do PT, Enio Tatto.

NOVOS VALORES

Anchieta-ImigrantesR$ 20,10

Washington Luís (km 282)R$ 12,40

Washington Luís (398)R$ 11,70

Antônio Machado Sant"AnaR$ 11,00

Anhanguera (405)R$ 10,30

Ermênio de O. PenteadoR$ 10,10

Carlos Tonanni R$ 10,00

Castelo Branco (128 e 208)R$ 9,90

Cônego Domênico Rangoni R$ 9,40

Ademar P. de Barros (123)R$ 9,10

Castelo Branco (km 74)R$ 8,50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.