Pedágio na Dutra sobe para R$ 9,20 no domingo

Tarifa hoje na estrada que liga SP ao Rio é de R$ 8,80 para carros de passeio; aumento anual está previsto no contrato entre governo e concessionária

, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2010 | 00h00

Motoristas que utilizam a Rodovia Presidente Dutra vão pagar pedágios mais caros a partir da zero hora de domingo, dia 1.º de agosto. As tarifas sofrerão um reajuste de 4,54%, segundo determinação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Assim, um carro de passeio passará a pagar R$ 9,20, ante os atuais R$ 8,80, e motocicletas pagarão R$ 4,60 em três praças de pedágio bidirecionais, em Moreira César (km 88-SP), Itatiaia (km 318-RJ) e Viúva Graça (km 207-RJ).

A estrada que liga São Paulo ao Rio tem seis praças de pedágios. O motorista paga na ida e na volta e os valores são diferentes em cada local. O reajuste é calculado, segundo a concessionária Nova Dutra, com base em uma cesta de índices da Fundação Getúlio Vargas. A rodovia está sob comando da empresa há 14 anos.

De acordo com a CCR, nesse período houve investimentos de aproximadamente R$ 2,7 bilhões na modernização da rodovia. "As estatísticas revelam que as melhorias na rodovia salvam vidas", ressalta a concessionária. O número de mortes caiu em mais de 60%, desde 1996, e a NovaDutra realizou mais de 1 milhão de atendimentos, entre ações de guinchos leves e pesados e atendimentos de socorro.

Neste ano, a cobrança de pedágio na rodovia, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, foi alterada e passou a ser feita nos dois sentidos da estrada. Para a mudança, os postos de Arujá e de Guararema, no interior paulista, foram reformados e ampliados.

Niterói. Também a partir da zero de domingo a tarifa de pedágio na Ponte Rio-Niterói passará de R$ 4 para R$ 4,30. O novo valor decorre do reajuste contratual e leva em conta também investimentos feitos pela concessionária desde agosto do ano passado e uma decisão do Supremo Tribunal Federal - determinando o repasse do Imposto sobre Serviços (ISS) para a prefeitura de Niterói, no período de janeiro a agosto de 1999. Há ainda os efeitos de arredondamentos, também previstos em contratos, para facilitar as operações de pagamento nas praças de pedágio, de forma que os valores pagos pelos motoristas comuns sejam sempre terminados em zero.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.