Pedágio fica mais caro na Régis Bittencourt a partir desta segunda

Tarifa básica, cobrada de automóveis, caminhonetes e furgões, sobe para R$ 2,00; caminhões leves e ônibus pagarão R$ 4,00

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

28 Dezembro 2014 | 14h56

SOROCABA - As tarifas de pedágio ficam mais caras a partir da zero hora desta segunda-feira (29) na rodovia Régis Bittencourt (BR-116), que liga São Paulo a Curitiba. O valor da tarifa básica, cobrada de automóveis, caminhonetes e furgões, sobe de R$ 1,80 para R$ 2,00. O aumento de 11,1%, autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres, vale para as seis praças de pedágio existentes na rodovia - cinco ficam no trecho paulista. De acordo com a concessionária, o reajuste é anual e está previsto no contrato de concessão.

Na definição do aumento, foram levados em conta os investimentos na estrada, como as obras de duplicação da Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu, no Vale do Ribeira. Dos 30,5 quilômetros em obras, 18 foram duplicados e abertos ao tráfego. A tarifa básica será cobrada de automóveis, caminhonetes e furgões. Caminhões leves e ônibus pagarão R$ 4,00. A maior tarifa, de R$ 12,00, será cobrada de carretas e caminhões com semirreboque. A menor, de R$ 1,00, será cobrada de motocicletas, motonetas e bicicletas a motor. 

As praças de pedágio estão instaladas no km 299, em São Lourenço da Serra; km 370, em Miracatu; km 427, em Juquiá; km 485, em Cajati e km 542, em Barra do Turvo, todas no trecho paulista, além do km 57, em Campina Grande do Sul, já no Estado do Paraná.

Mais conteúdo sobre:
Pedágio Régis Bittencourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.