Peça um recibo de táxi e ganhe uma dica turística

SPTuris vai distribuir 120 mil talões que destacarão 18 atrações paulistanas

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

06 Julho 2011 | 00h00

Os taxistas de São Paulo vão começar a partir desta semana a distribuir recibos para os passageiros. Notícia velha? Não exatamente. Desta vez, essa ação rotineira para quem pega um táxi vai ganhar um toque diferente, pois os recibos terão no verso dicas de turismo da maior cidade brasileira.

A São Paulo Turismo (SPTuris) vai distribuir a 20 mil taxistas talões de recibo com 50 folhas cada - e por causa disso o nome do projeto é "Um Milhão de Amigos". O material, feito de papel especial, conta na frente com as informações básicas de um recibo: valor, quem recebeu e data. No verso, no entanto, haverá três sugestões de atrações turísticas, culturais e eventos da cidade - com uma pequena descrição e informações de serviço, como o horário de funcionamento e o preço.

"Os táxis às vezes passam despercebidos, mas precisamos levar em conta que são milhares na cidade de São Paulo. Então é um importante meio de transmitir as informações sobre pontos turísticos, de forma bem simples, como no ato de entregar um recibo", diz o presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho.

Os talões serão distribuídos para os taxistas que pertencem às categorias organizadas, como o sindicato dos profissionais autônomos. Cada um deles vai receber um talão por mês. Os lotes serão renovados todo dia 1.º e os novos vão conter informações sobre outras atrações da capital paulista.

O primeiro modelo de talão, por exemplo, traz informações sobre o Teatro Municipal, que foi reaberto em junho após ser totalmente restaurado. Também é indicado o Museu do Futebol, que funciona no Estádio do Pacaembu, e a ciclofaixa de lazer, acionada todos os domingos e feriados, ligando o Parque do Povo ao futuro Parque do Chuvisco (na região da Avenida Roberto Marinho).

Propaganda. Os talões serão entregues até o fim do ano, mostrando portanto outras 15 atrações. Entre elas estão a Pinacoteca, o Museu da Língua Portuguesa, o Mercado Municipal e a Biblioteca Mário de Andrade. O custo todo do projeto é de R$ 230 mil e envolve também anúncios e reportagens sobre o turismo da cidade em uma revista especializada do setor de táxis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.