Cinco corpos foram encontrados enrolados em tapetes e com sinais de tortura, às 4h de ontem, em Embu das Artes. Segundo o delegado Luiz Fernando Correia Mara, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), tudo indica que se trata de um julgamento seguido de execução pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) como resposta a um outro assassinato.

15 Março 2013 | 02h04

Informações do Instituto Médico-Legal (IML) repassadas pela polícia sugerem que as vítimas morreram de três a cinco dias atrás, por traumatismo da medula e ruptura da traqueia. Também apresentavam sinais de estocadas e espancamento. As vítimas não foram assassinadas nos locais em que a polícia as encontrou. Quatro dos cinco cadáveres já haviam sido identificados até a tarde de ontem.

Na delegacia de Embu, o pai de uma vítima contou que seu filho desapareceu no sábado. No domingo foi orientado pelos sequestradores a não chamar a polícia, o que só fez na quarta. /ANDRÉ CABETTE FÁBIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.