Pavio curto pra quê?

Tatu-do-certo

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2012 | 03h04

Depois de "Tatu-do-errado" e "Tatu-do-bem", tem sugestão nova de nome para o mascote da Copa de 2014 rolando nas redes sociais: "Tatu-do-dominado!"

Bunga-bunga

Varou a madrugada na suíte do homenageado o bota-fora de Mahmoud Ahmadinejad de Nova York. Esta foi a última Assembleia-Geral da ONU do presidente do Irã, que deixa o poder em 2013.

A que ponto chegamos!

Tem marmanjo por aí desistindo de dar lance no leilão da virgindade de uma brasileira pela internet para disputar o prêmio de R$ 132 milhões que um bilionário de Hong Kong está oferecendo ao homem que convencer sua filha lésbica a com ele se casar.

Suposta censura

Se Zidane fosse brasileiro, já teriam dado um jeito de proibir por aqui a estátua do jogador acertando o italiano Materazzi com aquela cabeçada que o tirou de campo e a seu país da final da Copa de 2006. Como ele é francês, a obra de arte está exposta na frente do Beaubourg de Paris.

Ah, bom!

Mano Menezes esclarece: os três gols de Kaká pelo Real Madrid no amistoso de anteontem não influíram em nada na decisão de chamá-lo de volta à seleção. Ou seja, o jogador foi convocado pelo técnico por tudo que ele não jogou na atual temporada!

Tá explicado!

De Madonna, explicando por que chamou Barack Obama de "muçulmano negro" durante show em Washington: "Eu estava sendo irônica no palco." Ah, bom!

Acontece com alguns bons atacantes do futebol brasileiro! Sabe aquele artilheiro que, mesmo com seu time ganhando de goleada aos 38 minutos do segundo tempo, é capaz de trocar cotoveladas com adversários, chamar o bandeirinha de ladrão, reclamar do passe do companheiro, irritar a própria torcida...?

O chamado "pavio curto" é, em geral, uma lástima! Quantas vezes o destempero emocional atrapalhou os times por onde passaram Kléber Gladiador, Emerson Sheik, Valdívia e o "fabuloso" Luís Fabiano - só para citar alguns que não tem psicólogo que dê jeito?

Mal comparando, está acontecendo algo bem parecido com o ministro Joaquim Barbosa no julgamento do mensalão. Só Freud explica por que o relator da ação no STF, sob aplausos do torcedor encantado com as condenações que vem emplacando uma atrás da outra, lá pelas tantas sai dando bico na canela do revisor, peitada no juiz ao lado que lhe chama atenção, chegando quase ao chilique no tribunal!

Sempre à beira de um ataque de nervos, periga terminar o julgamento aborrecido com a vitória de suas teses. Tomara que vença também essa dificuldade de ficar em paz com o próprio sucesso.

Autoestima

"NÃO EXISTE BUMBUM

IGUAL AO NOSSO!"

Dani Sperle, brasileira,

vencedora do concurso Miss Bumbum

Internacional, em Miami.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.