Paulistanos viram turistas de fim de semana em SP

Hotéis de luxo da capital oferecem pacotes para quem quer passar somente um dia ou uma noite hospedado com todas as mordomias

Nataly Costa e Rodrigo Brancatelli, O Estado de S.Paulo

06 Fevereiro 2011 | 00h00

Não são apenas os turistas estrangeiros e de outras cidades do País que estão inflando os dados de ocupação dos hotéis de São Paulo. Para se ter ideia, houve períodos de 2010 em que 80% dos quartos da capital estavam ocupados, um índice igual ao de Nova York em pleno ano-novo. Esse movimento, no entanto, vai além dos viajantes que desembarcam por aqui - com o verão, cada vez mais paulistanos estão aproveitando as mordomias dos hotéis para virar turistas na sua própria cidade.

Por a partir de R$ 80, é possível passar o dia à beira da piscina, com academia, sauna, hidromassagem, quadra de tênis e outros mimos à disposição. Primeira vantagem: entre a vontade repentina de aproveitar o sol e o primeiro mergulho na piscina, são apenas alguns minutos. "Outro dia tentei ir para a praia no Guarujá, fiquei três horas na estrada e quando cheguei lá já estava chovendo", conta a advogada paulistana Carina Pacheco Bucci, à beira da piscina do Grand Hyatt, um dos hotéis de luxo de São Paulo que contam com pacotes promocionais para quem quer passar apenas o dia ou o fim de semana. "É só acordar, ver que está sol e vir, como se fosse um clube."

A vocação "recreativa" dos hotéis paulistanos é novidade em uma cidade que, pela tradição em receber o público executivo, sempre teve quartos ocupados de segunda a sexta - e vazios no fim de semana. "A ideia agora é transformar hotel de negócio durante a semana em hotel familiar nos sábados e domingos", afirma o diretor superintendente do São Paulo Convention & Visitors Bureau, Toni Sando. Ele afirma que, se antes a taxa de ocupação no fim de semana não passava dos 30%, hoje já chega facilmente nos 45%.

Foi para buscar conforto e um pouco de lazer fora de casa que os arquitetos Renata Nakaharada e Luis Frederico Kinoshita resolveram passar um fim de semana no Blue Tree Paulista, na região central. Do café da manhã farto à variedade de bares e restaurantes ao redor do hotel, era tudo novidade a apenas 10 km de onde moram, na Vila Romana, zona oeste da capital.

"Me sentia turista só pelo fato de estar a caminho do hotel. Queria ver tudo, prestar atenção nos lugares. Quantas vezes passei na frente do Masp e não entrei?", diz Renata.

Uma das premissas do casal era deixar o carro em casa, pegar o metrô e fazer tudo a pé. Foram ao cinema na Paulista, almoçaram e jantaram nos restaurantes do entorno e foram ver uma exposição no Masp. "Fiquei pensando que moro aqui e nem aproveito o que a cidade tem de bom", completa Renata.

Day use. Outra peculiaridade dos hotéis de São Paulo é que, diferentemente de cidades praianas, os preços no fim de semana caem drasticamente - Renata e Luis pagaram R$ 226 na diária, que em dia de semana custa o dobro. Outro pacote promocional oferecido pelos hotéis nos sábados e domingos é o chamado "day use", quando o hóspede passa o dia, por um certo período de tempo, sem pernoite. No Gran Hyatt, por exemplo, na zona sul, é possível utilizar quase toda a infraestrutura de lazer - o visitante recebe um kit com roupão, chinelo e toalhas, além da chave de um armário no vestiário. O sucesso nos dias de sol é visível nas espreguiçadeiras da piscina. No feriado de aniversário de São Paulo (25 de janeiro), quando a reportagem esteve no hotel, estrangeiros hospedados lá chegaram a reclamar da falta de horários para utilizar o spa, que estava tomado de reservas feitas pelos próprios paulistanos.

"Quando tem alguma festa muito grande, como o casamento de algum amigo, eu e minhas amigas costumamos passar a noite em um hotel próximo, para não voltar para casa dirigindo depois de beber", diz a estudante de moda Paula Nicollete. "Também já pagamos para passar apenas o dia, aproveitando a piscina. É bom porque você tem toda a estrutura do hotel, pode ir na academia, pode pedir uma caipirinha no bar, você até se sente um pouco "gringo" na cidade."

Serviço

GRAND HYATT AV. DAS NAÇÕES UNIDAS, 13.301, TEL.: 2838-1234 BLUE TREE PAULISTA RUA PEIXOTO GOMIDE, 707, TEL.: 3147-7000 TRYP IGUATEMI RUA IGUATEMI, 150, TEL.: 3704-5100

QUALITY SUITES BELA CINTRA RUA BELA CINTRA, 521, TEL.: 3728-0800 MERCURE TIMES SQUARE AVENIDA DOS JAMARIS, 100, TEL.: 5053-2500

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.