Paulistano está mais satisfeito com SP

Mas 51% dizem em pesquisa do Ibope que deixariam a cidade; pela 1ª vez, alagamentos aparecem entre os cinco principais problemas

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

15 Janeiro 2011 | 00h00

Pesquisa Ibope realizada entre o final de novembro e o início de dezembro do ano passado mostra que o número de pessoas que quer deixar São Paulo caiu em relação a 2009, mas ainda é significativo: corresponde à metade da população paulistana. Além disso, os alagamentos passaram a figurar entre os cinco principais problemas da cidade.

Pelo terceiro ano, o levantamento será apresentado pelo Movimento Nossa São Paulo no dia 20 de janeiro, às vésperas no aniversário da capital, que comemora 457 anos no dia 25. A pergunta "caso pudesse, sairia de São Paulo para viver em outra cidade, ou não sairia?" foi respondida por 1.512 pessoas em todas as regiões da cidade. Ao todo, 51% dos entrevistados responderam que sairiam. Outros 48% disseram que gostariam de continuar e 1% não souberam ou não responderam.

Os dados preliminares da pesquisa foram divulgados ontem pelo Nossa São Paulo. Em relação ao ano passado, quando 57% disseram que gostaria de deixar a capital, a satisfação do paulistano aumentou seis pontos porcentuais. Em novembro de 2008, havia sido de 46%.

A pesquisa indica ainda que os assuntos ligados à segurança pública seguem líderes no ranking dos principais problemas da vida na maior metrópole da América Latina. Para a pergunta "pensando no seu dia a dia, que situações mais fazem com que você sinta medo na cidade de São Paulo?", as respostas mais citadas pelos paulistanos foram: violência em geral, assalto e roubo, tráfico de drogas, sair à noite, alagamentos e trânsito. O levantamento foi realizado no início da temporada de chuvas, no final do ano passado, mas no período não foi registrada nenhuma grande enchente na cidade.

Série histórica. Maurício Broinizi Pereira, coordenador do Nossa São Paulo, afirma que o objetivo é montar uma série histórica da pesquisa ao longo dos anos. "É um levantamento que já foi feito em Montevidéu, no Uruguai, e que deve ser realizado em outras capitais da América Latina. Logo teremos parâmetros para comparar os dados da capital paulista", diz Pereira. Ele disse que os dados da pesquisa da capital uruguaia também serão divulgados na próxima semana.

Serão divulgados no próximo dia 20 dados sobre a percepção dos paulistanos para áreas como cultura, esportes e saneamento básico. "O fato de São Paulo registrar que quase metade dos entrevistados sairia se pudesse mostra que a cidade não é das mais agradáveis", acrescentou Pereira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.