Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Paulista vai ficar mais iluminada

Prefeitura fez acordo com a AES Eletropaulo para trocar lâmpadas e postes da avenida; luzes serão mais econômicas e projeto vai servir para toda a cidade

Mariana Lenharo e Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2011 | 00h00

Até 23 de janeiro, a Avenida Paulista estará 425% mais clara. A renovação das luzes da via mais famosa de São Paulo vai servir como piloto de um plano diretor de iluminação para toda a cidade, que deve ser concluído até o fim de 2011, segundo a arquiteta e urbanista Regina Monteiro, presidente da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU) da Prefeitura.

As obras da Paulista começaram no domingo e, para que elas continuem, o trânsito é interditado durante a madrugada.

A nova iluminação foi desenvolvida pelo Departamento de Iluminação Pública (Ilume) da Secretaria Municipal de Serviços e aprovado pela CPPU. A obra, executada pela AES Eletropaulo, substituirá os atuais 54 postes de concreto, de 25 metros, por 39 postes de aço de 20 metros e 15 de 12 metros.

Já as atuais lâmpadas amarelas de vapor de sódio de 400W de potência serão substituídas por outras brancas de vapor metálico, de 315W. Apesar da potência menor - que diminui os gastos com energia em 70% -, as luzes novas terão luminosidade muito superior. "Além de econômicas, essas lâmpadas permitem uma melhor identificação das cores, o que é indicado para um cartão-postal como a Avenida Paulista", diz o diretor da AES Eletropaulo, Roberto Di Nardo. A redução dos postes é necessária, segundo ele, para evitar a interferência nos apartamentos e melhorar a claridade nas calçadas.

Segurança. A melhoria da iluminação era reivindicação da Associação Paulista Viva. "Essa reforma vai ampliar a extensão da iluminação ao longo da avenida. A segurança será ampliada", diz o presidente da entidade, Antonio Carlos Franchini Ribeiro.

Moradores reclamam que os trechos mais escuros, como o quarteirão do Parque Trianon, provocam sensação de insegurança. "Lugares escuros são, obviamente, mais propícios a assaltos e ao uso de drogas", diz a empresária Fabíola Collavini Coelho, de 30 anos. Há 20 ela mora na Rua São Carlos do Pinhal, paralela à Paulista.

O investimento é fruto de um acordo com a Prefeitura em março de 2009, que devia cerca de R$ 344 milhões para a Eletropaulo. O município se comprometeu a quitar a dívida, desde que a Eletropaulo fizesse investimentos na cidade. "Queremos um projeto Cidade Limpa noturno. Não adianta tirar a poluição visual de dia se fica visualmente poluída à noite por causa da iluminação inadequada", diz Regina Monteiro.

Segundo a presidente da CPPU, o plano diretor de iluminação vai dar diretrizes sobre como devem estar dispostas as luzes das vias públicas, dos monumentos, das praças, dos edifícios públicos e privados de toda a cidade. "A iluminação na cidade é tudo. A luz adequada dá outra vida para o espaço urbano", diz Regina.

A Prefeitura vai encomendar um diagnóstico sobre a situação das luzes da cidade. Segundo Regina, o edital para a contratação da equipe responsável pelo estudo deve ser publicado em março. A partir da contratação, o diagnóstico deve ser feito em três meses.

INTERDIÇÕES

Nesta semana, para a troca dos postes

Entre a Praça Osvaldo Cruz e a Al. Joaquim Eugênio de Lima: até sexta-feira, interdição total das 0h às 5h; sábado: interdição parcial a partir das 23h; domingo: interdição total de 0h às 11h.

Até o dia 23

Entre a Al. Joaquim Eugênio e a Rua Augusta e entre esta e a Consolação (horário a definir).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.