Paulista: revista e interdições a partir de 10h

Avenida terá 5 bloqueios diferentes ao longo do dia para a Corrida de São Silvestre e o réveillon de 2 milhões de pessoas

FABIANO NUNES, O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2011 | 03h02

Quem for hoje ao Réveillon da Paulista deve evitar levar objetos que podem ser barrados, como garrafa e guarda-chuva. A PM, que terá 1.200 homens e 104 viaturas no evento, vai montar dez postos de bloqueio para revistas. Os organizadores esperam 2 milhões de pessoas.

Motoristas também devem ficar atentos às interdições de trânsito na região, já a partir das 10 horas. Réveillon e Corrida de São Silvestre causarão cinco diferentes bloqueios. No primeiro, o trânsito vai ser desviado no trecho da Alameda Campinas até a Rua Frei Caneca, sentido Consolação e, na via contrária, da Padre João Manoel à Alameda Campinas. Ao longo do dia, trechos bloqueados mudarão às 13h, 14h, 18h30 e 20h30.

Quem vive na Paulista só poderá tirar o carro da garagem até as 14 horas. E voltar às 2h30 de amanhã. Nesse horário, o trânsito deve ser liberado a moradores e, às 6 horas, para paulistanos em geral. O melhor transporte para chegar lá é o metrô. O público que pretende assistir à São Silvestre deve preferir a Estação Trianon à Brigadeiro.

Segundo o coronel Pedro Borges de Oliveira Filho, na hora da virada haverá interdições em todas as travessas que dão acesso à Paulista. Bloqueios serão feitos nos dois sentidos da via, logo após a Brigadeiro Luís Antônio e e mais nove pontos, sempre um quarteirão antes da Paulista. "Pedimos para que o público evite levar objetos que possam causar ferimento. Todos que acompanharem a festa passarão por revista preliminar." A PM vai recolher objetos como garrafas, latas, mastros de metal ou madeira, guarda-chuva e fogos de artifício. Pela primeira vez, a GCM usará armas paralisantes.

O primeiro show - do Restart - será às 20h. A contagem regressiva para 2012 deve ser no show da dupla Rio Negro & Solimões. Também subirão ao palco Ultraje a Rigor, Jota Quest, KLB e o maestro João Carlos Martins, com a Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP e a bateria da Vai Vai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.