Thiago Fenolio
Thiago Fenolio

Paulista: PM baleado no 1º dia de reforço

Soldado que estaria fazendo 'bico' de segurança foi atingido em agência de turismo invadida por três ladrões; seu estado é grave

Camilla Haddad, Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2010 | 00h00

No primeiro dia da Operação Delegada na Avenida Paulista, em que policiais militares de folga trabalham para a Prefeitura, um soldado da corporação, à paisana, foi baleado ontem durante assalto em um prédio comercial no n.º 2.202. Segundo policiais civis, a vítima estaria fazendo a segurança da agência de turismo alvo de ladrões. A Polícia Militar não confirmou a informação. Ninguém foi preso.

O soldado ferido trabalha em um batalhão na Lapa, zona oeste, e levou três tiros - um na perna e dois no tórax. Encaminhado ao Hospital das Clínicas (HC), até as 20 horas, passava por cirurgia e seu estado era grave.

Os três suspeitos que invadiram a agência por volta das 13h15 levaram dinheiro de uma casa de câmbio que funciona no local. Procurados, representantes do estabelecimento disseram que a empresa não comentaria o caso.

Segundo policiais do 78.º Distrito Policial (Jardins), onde o caso foi registrado, os suspeitos conseguiram entrar fingindo ser clientes e subiram ao 1.º andar. O trio também roubou a arma do policial baleado - uma pistola 380 de uso particular - e outras duas armas que estavam em um cofre. Um funcionário levou uma coronhada, foi medicado no HC e liberado.

O gerente de uma banca de jornal disse que no momento do resgate do policial houve confusão e pedestres procuraram abrigo dentro da banca. Em uma padaria ao lado, funcionários não ouviram os tiros. "Foi lá dentro do prédio, só ouvi barulho na hora em que a PM veio atender a ocorrência aqui", contou uma mulher que não quis se identificar.

Efetivo. Desde ontem de manhã, além dos PMs que patrulham a Paulista diariamente, a via recebeu reforço policial de 200 homens em três turnos da Operação Delegada, também conhecida como "bico oficial".

O novo grupo atua em convênio com a Prefeitura e tem como objetivo principal impedir o trabalho irregular de camelôs na região. Segundo a Prefeitura, nenhum ambulante tem licença para vender produtos na avenida.

Também na manhã de ontem, a corporação começou o primeiro dia de testes do Segway - um tipo de patinete elétrico computadorizado que auxilia no patrulhamento a pé e nas calçadas. São dois equipamentos, que ficarão em teste por três meses. Há, ainda, policiamento de bicicleta em toda a extensão da Paulista.

Prevenção. Em abril, o batalhão do centro, responsável pela segurança da região, distribuiu cartilhas ilustradas com situações de risco de assaltos a pedestres. A medida seria preventiva para reduzir furtos e roubos.

Na ocasião, soldados da área disseram que o alvo principal nas ações são aparelhos celulares e bolsas. Os assaltos são mais frequentes entre 7 e 9 horas e das 18 às 20 horas.

OUTROS ROUBOS

2 de março

Armados com revólveres e pistolas, quatro assaltantes atacaram dois funcionários de uma empresa de limpeza que deixavam a agência do Banco Safra, na altura do número 2.100 da Paulista. O bando roubou os R$ 75 mil sacados pelas vítimas e fugiu em um táxi. Avisada, a PM perseguiu os criminosos até a Rua Barata Ribeiro, na Bela Vista, centro. Todos foram presos e R$ 65mil, recuperados

20 de setembro

Com pistolas de brinquedo, três homens invadiram a agência do Banco Santander, na Avenida Paulista, 2.200. Retiraram

R$ 169 mil dos caixas. Os vigias, que acreditaram que as armas fossem reais, não reagiram. O assalto durou cerca de 10 minutos. Os ladrões fugiram pela Estação Consolação, da Linha 2-Verde do Metrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.