Paulista: motorista de ônibus não teve intenção de matar

No ano passado, 49 ciclistas morreram nas ruas da capital, segundo a Secretaria Municipal de Saúde

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

03 Abril 2012 | 23h28

SÃO PAULO - O inquérito sobre a morte da bióloga Juliana Vaz, atropelada enquanto trafegava de bicicleta na Avenida Paulista, no dia 2 de março, foi concluído e apontou, segundo a Secretaria da Segurança Pública, que o motorista do ônibus que atingiu a ciclista, Reginaldo Francisco dos Santos, de 36 anos, realmente discutiu com Juliana antes do acidente, mas que ele não teve intenção de matá-la.

Santos foi indiciado por homicídio culposo (sem intenção). O caso está sendo avaliado pelo Ministério Público Estadual e será apresentado à Justiça.

No ano passado, 49 ciclistas morreram nas ruas da capital, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde - em 2005, foram 93 mortes.

Mais conteúdo sobre:
Paulista atropelamento ciclista

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.