Paulista é condenado a 17 anos de prisão pelo roubo ao BC

Fernando Carvalho Pereira é acusado de ter participação direta no roubo de R$ 164,7 milhões em Fortaleza

Carmem Pompeu, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2008 | 14h37

O paulista Fernando Carvalho Pereira foi condenado a 17 anos de prisão por participação direta no furto dos R$ 164,7 milhões do Banco Central de Fortaleza. A pena foi aplicada pelo juiz da 11ª Vara Federal, Danilo Fontenele Sampaio, e comunicada aos advogados do réu, que aguardava o final do processo preso numa penitenciária de São Paulo.   Veja também: STF manda soltar suspeito de envolvimento no roubo ao BC Mais 4 são processados por lavagem de dinheiro roubado do BC Condenados a 49 anos de prisão líderes de roubo ao BC Cofre do Banco Central é encontrado pela PF apenas com papéis PF prende mentor do milionário furto ao BC de Fortaleza    Fernando é a 19ª pessoa condenada por envolvimento no furto milionário. Em três anos, 117 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal (MPF) por ligação direta ou indireta no crime. Desse total, 28 estão presas e o restante em liberdade. A maioria dos indiciados responde por lavagem do dinheiro.   Fernando Pereira foi condenado pelos crimes de uso de documento falso e por furto qualificado. Ele era um dos tatus que ajudaram a escavar o túnel que deu acesso ao cofre do BC, em agosto de 2005. Do dinheiro furtado, a Polícia Federal recuperou cerca de R$ 40 milhões.   Entre os assaltantes presos e condenados estão alguns citados no processo como líderes da quadrilha: Antônio Jussivan Alves dos Santos, o Alemão, 49 anos de reclusão, Marcos Rogério Machado de Morais, condenado a 49 anos e Antônio Edmar Bezerra, que foi condenado a 53 anos de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
roubo ao BCFortaleza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.