Paulista: agressores de volta à Fundação Casa

Justiça determinou que os 4 menores acusados de atacar 3 pessoas voltem a cumprir medidas socioeducativas; polícia investiga mais um caso

Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2010 | 00h00

Os quatro adolescentes de classe média acusados de agredir três pessoas na Avenida Paulista, no dia 14, voltaram para a Fundação Casa ontem à noite. A Justiça determinou a reinternação dos jovens anteontem, atendendo a pedido da Promotoria da Infância e da Juventude da capital. A decisão, cujos detalhes são mantidos em segredo, prevê a manutenção na fundação por até 45 dias, sem prorrogação.

Até ontem à noite, o Ministério Público Estadual não havia informado se pedira a prisão de Jonathan Lauton Domingues, de 19 anos, único adulto do grupo. Nova vítima dos agressores se apresentou ontem à polícia. Disse que a série de espancamentos daquele domingo começou por volta das 4h, antes dos ataques na Paulista, em uma casa noturna de Moema, na zona sul.

O estudante L., de 19 anos, teve o maxilar quebrado. Ele afirmou à polícia que esbarrou em um dos adolescentes, de 16 anos, na rampa de acesso de uma festa na Avenida Ibirapuera. Ainda segundo o depoimento, L. levou socos e pontapés. Os seguranças da casa separaram a briga. L. disse aos policiais que os agressores ainda discutiram com os vigias.

Da Avenida Ibirapuera, o grupo seguiu para a Avenida Paulista, onde, às 6h, agrediu duas pessoas: o fotógrafo R., de 20 anos, e o estudante O., de 19. A polícia divulgou ontem imagens dessa agressão, gravadas pela câmera de segurança de um prédio da avenida.

O vídeo mostra O. caído na calçada e sendo chutado na cabeça por um dos jovens. O estudante ficou desacordado e passou o dia internado no Hospital Oswaldo Cruz. Cerca de 30 minutos depois, o grupo atacou o estudante L., de 23 anos, cujo vídeo da agressão foi divulgado na sexta. L. foi atingido duas vezes por lâmpadas fluorescentes. "Foram agressões gratuitas. Os depoimentos mostram que os jovens não foram provocados", disse o delegado Roberto Felisoni, do 5.º Distrito Policial (Aclimação).

Entrega. O pai de Domingues se comprometeu ontem a levar o filho à delegacia hoje. Já os quatro adolescentes foram detidos em suas casas ontem à noite e levados para a unidade do Brás da Fundação Casa, conforme informou a instituição.

Os advogados dos cinco acusados não foram localizados para comentar a decisão. Na sexta-feira, Orlando Machado, defensor de um dos menores, abandonou o caso após a divulgação de imagens da agressão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.