HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

Paulista aberta é considerada 'projeto inspirador' por site

Especializado em arquitetura, ArchDaily diz que avenida 'incentiva a arte e cultura urbana' e destaca ainda ciclovias e faixas de ônibus

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2015 | 12h51

SÃO PAULO - O projeto de abertura da Avenida Paulista para pedestres foi eleito pelo ArchDaily, site especializado em arquitetura, como “inspirador” na categoria comprometimento urbano de 2015. Receberam destaque ainda a rede de ciclovias que possibilitam o uso “até então inimaginável” de bicicletas em São Paulo e a criação de novas faixas exclusivas para ônibus. Segundo o site, a abertura da Paulista para pedestre incentiva a arte e cultura urbana.

A equipe editorial do ArchDaily reconheceu 13 projetos, iniciativas e pessoas no mundo todo que “provaram ser líderes” neste ano. De acordo com a publicação, foram selecionados projetos que têm “compromisso em promover práticas em arquitetura que atendem a muitas pessoas, em todos os cantos do mundo – da Bolívia a Londres, de Chicago a Veneza, de equipamentos públicos em favelas a terminais de drones na África”. Além de São Paulo, figura a lista um coletivo criado por estudantes da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (UnB). 

O site justificou a escolha mencionando a aprovação do novo Plano Diretor da cidade em 2014. Segundo o ArchDaily, desde então, os principais eixos estruturais estão em andamento “e já demonstram mudanças significativas no cotidiano da capital paulista”. Também foi citado o destaque da mídia internacional à Prefeitura de São Paulo, que avalia a gestão como “visionária e corajosa”.

“Os princípios, estratégias e instrumentos do novo Plano Diretor se baseiam na criação do Fundo de Desenvolvimento Urbano, combate à ociosidade e retenção especulativa dos imóveis que não cumprem sua função social, compatibilização do crescimento urbano com um novo padrão de mobilidade, incentivos para que as novas construções melhorem a sua inserção urbana, além de reforçar o compromisso com a agenda ambiental e abordar outros pontos fundamentais como a habitação e zonas de interesse especial”, diz o texto.

De acordo com a equipe editorial do ArchDaily, “mesmo sob pressão de uma sociedade conservadora, a atual gestão conseguiu impulsionar e ganhar reconhecimento da população em algumas de suas principais ações, como inserir uma rede de ciclovias que possibilitam o uso - até então inimaginável - de bicicletas, criar novas faixas exclusivas para ônibus, abrir a Avenida Paulista – ícone da cidade – para que os pedestres possam ocupá-la durante todos os domingos, incentivar a arte e cultura urbana”.

Além de projetos de mobilidade e urbanismo da Prefeitura de São Paulo, a equipe editorial do site reconheceu o coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, criado por estudantes da Faculdade de Arquitetura e UnB. O grupo debate a igualdade de gênero dentro do âmbito da arquitetura e do urbanismo, por meio do reconhecimento e divulgação da vida e obra de arquitetas “desprestigiadas” pela história.

Avenida Paulista. A Prefeitura abriu oficialmente a via para pedestres e ciclistas no dia 17 de outubro. O Ministério Público Estadual (MPE) chegou a recomendar que a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT)  não fechasse a via para carros e ameaçou multar a administração em R$ 30 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.