Patrícia julgaria 91 réus PMs; promotor deixa São Gonçalo

A Polícia Militar confirmou que 91 PMs eram réus em ações que seriam julgadas pela juíza Patricia Acioli. Os nomes já foram encaminhados à Corregedoria, que analisará caso a caso. Entre os processos, 50 réus respondem por autos de resistência (morte de criminosos em suposto confronto com a polícia). Na maior parte dos falsos autos, o laudo cadavérico contradiz a versão policial e aponta que a vítima recebeu tiros pelas costas ou disparos a curta distância. Ao constatar a fraude, o promotor de São Gonçalo, Paulo Roberto Cunha Júnior, denunciava o policial. Ontem, o MP anunciou a transferência dele para o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, mas negou que a medida tenha relação com ameaças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.