Pastores travaram 'guerra santa' contra Kassab

Durante os 53 dias em que a Igreja Mundial do Poder de Deus do Brás ficou lacrada, entre 21 de dezembro e 13 de fevereiro, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) sofreu duros ataques do bispo Valdomiro Santiago, fundador da igreja. No Canal 21, o bispo desafiou o prefeito a fechar também as escolas de samba.

Bastidores: Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2010 | 00h00

Pastores de outras igrejas, como da Assembleia de Deus, que também teve dois templos na zona leste fechados, aderiram à "guerra santa" contra Kassab. Depois de muita pressão, a Prefeitura liberou o templo da Igreja Mundial, contrariando um parecer do próprio prefeito emitido em janeiro de 2009 e uma decisão em última instância do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.