Passeata pede fim das mortes

Cerca de 200 pessoas marcharam ontem do Masp ao Teatro Municipal. Com a bandeira "Cotas sim, massacre não", lembraram Zumbi dos Palmares e seguiram, sob chuva, ao som de tambores. A marcha, que ocorre há nove anos no Dia da Consciência Negra, trouxe para debate neste ano as mortes de jovens negros na recente onda de violência. "Episódios como esse só recrudescem o que já ocorre desde a escravidão", disse a militante Sueli Chan. / JULIANA DEODORO

O Estado de S.Paulo

21 Novembro 2012 | 02h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.