Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Passe livre começa a valer nesta segunda no Metrô e na CPTM

Benefício, que entrou primeiro em vigor nos ônibus municipais, dá direito a 48 passagens gratuitas por mês no sistema sobre trilhos

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

09 de março de 2015 | 11h00

SÃO PAULO - Um dos pontos criticados por alguns estudantes é a falta de informações. O estudante de Administração de Empresas Antônio Sena, de 26 anos, ainda não sabia, por exemplo, que o passe livre para o Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) começa a vigorar nesta segunda-feira, 9. "Se eu soubesse, já teria corrido atrás."

O passe livre, que entrou primeiro em vigor nos ônibus municipais, dá direito a 48 passagens gratuitas por mês. O projeto de gratuidade dos ônibus foi encaminhado e aprovado pela Câmara Municipal antes da proposta do governo estadual, que precisou esperar a volta do recesso da Assembleia.

Queixas. Problemas no cadastro também estão entre as reclamações de estudantes, que estão tendo de pagar a tarifa de R$ 3,50. É o caso do aluno de Música Daniel Conelheiro, de 26 anos, matriculado numa faculdade no centro da capital paulista. Ele mora em Embu das Artes, na Grande São Paulo. "Só comecei a pagar meia ontem (quinta-feira), porque não conseguia retirar o cartão novo do Bilhete Único", disse ele, que solicitou a tarjeta em janeiro.

Com isso, ele afirmou que nem mesmo a opção da meia tarifa, que já vigorava antes do passe livre começar a valer nos ônibus, lhe estava disponível. "Ninguém me atendia no 156 e fiz absolutamente tudo o que precisava pelo site da SPTrans, mas parece que o lote da universidade em que eu estava deu um problema no sistema deles."

Os filhos gêmeos do comprador licenciado Levy Neto, de 54 anos, que estudam no ensino médio em uma escola estadual no Jardim Umarizal, na zona sul, também estão sem o passe livre, embora tenham direito e já se cadastrado no sistema. "Até agora não conseguimos o benefício e já viemos aqui várias vezes", disse ele na manhã de sexta-feira, no posto de atendimento da SPTrans, no centro.

Pela primeira vez, para enfrentar as filas, a SPTrans passou a direcionar uma parte do público para outro prédio, na Rua Boa Vista, a um quarteirão de distância.

A SPTrans informou que as filas nos postos não influenciam no número de cadastrados e que "vem adotando providências para melhorar o atendimento". As medidas incluem a abertura mais cedo do posto central e o aumento de seus funcionários de seis para 14.

Tudo o que sabemos sobre:
MetrôCPTMPasse livreSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.