Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Pássaros de madeira ''pousam'' em vias de SP

Designer criou 400 aves, que estão sendo penduradas em árvores de grandes avenidas da cidade, como a 23 de Maio

Valéria França, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2011 | 00h00

Nesta semana, algumas das principais vias paulistanas vão receber 400 pássaros. De madeira e com 20 centímetros de altura, as aves foram cortadas e pintadas pelo designer Alê Ferro, que começou ontem a pendurá-las em árvores em pontos de trânsito intenso. O primeiro foi um canteiro da Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, perto da Avenida dos Bandeirantes, na zona sul.

Os pássaros vão ser pendurados até quinta-feira. Hoje, é a vez da Marginal do Pinheiros, entre as Estações Berrini e Vila Olímpia da CPTM; na quarta-feira, a intervenção será na Avenida Santo Amaro, perto da Rua Nebraska, no Brooklin; e na quinta-feira, será na região ao redor do Centro Cultural Vergueiro, na Avenida 23 de Maio.

"A ideia é chamar a atenção para a rua", diz Alê. "Há uma seringueira na Avenida Santo Amaro, por exemplo, ilhada entre as duas pistas. Ela vai ganhar pássaros para que seja mais notada."

Quando cursava a faculdade de Arquitetura, Alê passou a circular pela cidade de bike, porque seu carro foi roubado. "O jeito foi sair pedalando. E eu curti muito, porque comecei a ter outra relação com São Paulo."

Mesmo depois de formado e com carro na garagem, Alê continua adepto da bike. Seu ateliê fica no Brooklin, vizinhança na zona sul que já se acostumou a ver o jovem de bicicleta parando perto das árvores do bairro, abrindo a mochila cheia de pássaros, para então pendurá-los nos galhos.

Também ciclista e amigo de Alê, Bruno Moisés, de 29 anos, gosta de ver a reação das pessoas quando os dois saem para pendurar os pássaros. "É engraçado. Algumas pessoas não entendem nada. Outras se aproximam e perguntam o que ele está fazendo. E tem ainda aquele que sai fotografando a cena."

Intervenções. Essa não é a primeira intervenção de Alê. Há cerca de um ano, ele pintou placas de crianças pedindo dinheiro e as espalhou pela Avenida dos Bandeirantes, onde a garotada costuma abordar os motoristas que aguardam o sinal abrir.

Alê também já fez muros e fachadas de lojas, como a El Cabriton Y Amigos, na Rua Augusta, estabelecimento conhecido por mudar sempre seu visual (o vídeo da execução da obra está na internet, no flickr.com/photos/elcabriton/5045258193/).

Há quem ache poético deixar a cidade mais colorida. Há quem queira levar um pedacinho de arte para casa. "Quando estava colocando pássaros nas árvores da Praça Vilaboim, em Higienópolis, uma senhora se aproximou. Não falou nada. Quando me distraí, ela pegou um dos pássaros, colocou na bolsa, e saiu andando rápido", conta Alê. "Eu adorei."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.