Passagens subterrâneas exigirão retirada de praças na zona sul

Cerca de 50 famílias que ocupam terrenos da AES Eletropaulo de forma [br]irregular também terão de sair da Vila Mariana

Felipe Oda, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2010 | 00h00

Na zona sul também está prevista a construção de dois túneis, com duas pistas cada, sob a Avenida Domingos de Morais, interligando as Avenidas Ricardo Jafet, no Ipiranga, e Sena Madureira, na Vila Mariana. Ao contrário do projeto na zona norte, o Complexo Viário Sena Madureira deverá desapropriar "habitações irregulares" e três "áreas públicas" (praças), segundo estudo de impacto ambiental (EIA-Rima) da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente.

Cerca de 50 famílias que ocupam de maneira irregular dois terrenos da AES Eletropaulo, nas Ruas Souza Ramos e São Gilberto, serão desapropriadas. "Alguns moradores já foram avisados, mas nem todo mundo sabe o que vai acontecer", conta Leonildo Dimas, de 34 anos, morador da área invadida - cercada de imóveis de alto padrão.

Procurada pela reportagem, a Eletropaulo não respondeu. No documento ambiental, a Prefeitura não menciona para aonde as famílias desapropriadas serão encaminhadas. O EIA-Rima só afirma que, na região, não serão construídos imóveis "de interesse social" para abrigá-los.

Pelas passagens subterrâneas, que juntas terão 990 metros de extensão, deverão trafegar 6 mil carros por hora. Pelo atual traçado, as Praças Adélia Bastos Birkholz e Lasar Segall, na Vila Mariana, e Guté, na Chácara Klabin, sofrerão intervenções.

Praças abandonadas. Moradores ouvidos pela reportagem são favoráveis. "A praça (Lasar Segall) não tem equipamentos de lazer e serve de ponto para os flanelinhas e vendedores ambulantes", afirma o taxista Evandro Gouveia Jesus, de 56 anos. "A Prefeitura abandonou a Praça (Guté). Virou moradia para moradores de rua", diz a fisioterapeuta Alessandra Lee, de 26 anos.

PARA LEMBRAR

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) anunciou, em setembro, mudanças no projeto do túnel de 2,7 km que ligará o Brooklin, zona sul, à Rodovia dos Imigrantes. Kassab afirmou que enviaria à Câmara novo plano da obra, de quase R$ 3 bilhões. Moradores, porém, dizem que as alterações destacadas se referiam à primeira modificação. O Tribunal de Contas do Município barrou a homologação dos contratos e pediu duas votações no Legislativo. O vereador Antônio Donato (PT) afirmou ontem que o documento não chegou à Camara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.