Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Passagens do metrô e da CPTM sobem para R$ 4,30 em 13 de janeiro

Decisão foi publicada pelo governador João Doria no Diário Oficial desta quinta; reajuste é de 7,5%; integração dos trens com os ônibus vai passar de R$ 6,96 para R$ 7,48

Marina Dayrell, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2019 | 07h55

O governo de São Paulo publicou na manhã desta quinta-feira, 3, que o valor das passagens de metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) será reajustado de R$ 4 para R$ 4,30 a partir do dia 13 de janeiro.  A tarifa de ônibus também subirá com o mesmo valor, mas no próximo dia 7. 

O reajuste será o mesmo das tarifas dos ônibus da capital, anunciado na última semana de dezembro de 2018 pelo prefeito Bruno Covas (PSDB). A alteração dos valores é de 7,5% e está acima da inflação dos últimos 12 meses, projetada em 3,6% pelo Banco Central. A integração dos trens com os ônibus vai passar de R$ 6,96 para R$ 7,48.

Na última quarta-feira, 2, o ex-governador paulista Márcio França (PSB) afirmou ao Estado que deixou o governo sem reajustar as tarifas porque o sucessor João Doria (PSDB) queria um valor maior do que o que a sua equipe defendia durante a transição.

França afirmou que o seu governo pretendia aplicar apenas a correção inflacionária do último ano na tarifa das passagens, cujo valor iria para R$4,15. Segundo o ex-governador, Doria queria um reajuste que fosse para R$4,25.

O atual governador disse em coletiva de imprensa na última quarta-feira que “faltou coragem” a França para anunciar o reajuste das passagens e que ambas equipes haviam concordado com a tarifa de R$4,25.

O governo alegou que a tarifa básica do bilhete unitário do Metrô e da CPTM foi reajustada pela última vez em 7 de janeiro de 2018. “Transcorrido o interregno entre aquela data e o presente momento, os valores nominais apresentam defasagem, vez que a inflação medida pelo IGP-M -Índice Geral de Preços do Mercado apurado pela Fundação Getúlio Vargas é de 7,54%, para o ano de 2018”, afirma a decisão publicada no Diário Oficial desta quinta-feira.

Doria ainda não indicou até agora quem serão os presidentes da Companhia do Metropolitano e da CPTM.

Recargas

A Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM), informou que o valor antigo da tarifa será mantido até o fim dos créditos nas recargas feitas até as 23h59 do dia 12 de janeiro.

"Os passageiros que comprarem seus créditos temporais antes da data do reajuste também poderão continuar utilizando o bilhete normalmente com os valores atuais", informa a pasta, em nota.

As gratuidades para idosos, estudantes, portadores de necessidades especiais e desempregados serão mantidas. "Somente no ano passado, o governo do Estado investiu cerca de R$ 1,4 bilhão em gratuidades para que 352 milhões de passageiros tivessem acesso livre ao transporte público e subvenções."

A secretaria informou que as modalidades temporais de crédito, Mensal ou 24 horas (comum e integrado), também terão seus valores reajustados. O valor do Bilhete Mensal, somente de trens, será de R$ 208,90 (comum) e R$ 323,80 (integrado). O Bilhete 24 horas passa para R$ 16,40 (comum) e R$ 21,60 (integrado).

Confira os novos valores das tarifas do metrô e da CPTM:

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.