Passageiros perdem embarque por falta de informação

A principal reclamação dos passageiros que esperavam desde manhã para viajar era a falta de informação. Painéis do aeroporto não eram atualizados em tempo hábil e funcionários não sabiam orientar os passageiros, que acabavam perdendo os voos. Foi o que aconteceu com a funcionária pública Lucia Moraes, de 40 anos, que precisava ir para Brasília e estava na fila do atendimento da Gol para tentar remarcar a passagem. "Fiquei colada no painel e simplesmente meu voo partiu e ninguém sabia me informar nada", disse ela, indignada. "Preciso viajar para trabalhar a cada duas semanas e sempre passo por esse nervoso."

O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2012 | 03h01

O analista jurídico Rafael René, de 30 anos, veio visitar a noiva em São Paulo no fim de semana e perdeu um voo da Gol das 10h para voltar ao Rio. Após uma hora na fila para tentar remarcar a passagem, ele estava prestes a ser atendido. "Já perdi o dia de trabalho, vou remarcar minha passagem para amanhã", disse. "Ganho mais um dia com ela, mas fico mal no trabalho."

Notificação. Fiscais do Procon estiveram ontem no aeroporto e constataram que "Gol e TAM não deram a devida assistência material e de informações aos consumidores que tiveram voos cancelados ou atrasados". As empresas têm 48h para dar informações ao Procon-SP sobre atrasos, cancelamentos e prestação de assistência a passageiros. Se autuadas, responderão a processo administrativo e podem ser multadas em um valor que varia de R$ 400 a R$ 6 milhões. As duas disseram que vão se manifestar no prazo estipulado. A Gol declarou ainda que "lamenta pelo desconforto aos passageiros", mas "a segurança de seus clientes e colaboradores é item prioritário em sua política de gestão".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.