Passageiros enfrentam problemas para embarcar em Congonhas

Baixa visibilidade causa atrasos, cancelamentos e desvios de vôos para outros aeroportos de São Paulo

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

08 de agosto de 2008 | 02h31

Por causa da baixa visibilidade decorrente do mau tempo, nesta quinta-feira os passageiros que tentavam chegar ou sair do Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, tiveram dificuldades por causa dos atrasos, cancelamentos e desvios de vôos para o Aeroporto Internacional Governador André Franco Montoro, em Cumbica, Guarulhos, na Grande São Paulo. Veja também:Avião bate em lâmpadas e fecha pista principal de Congonhas  A assessoria de imprensa de Congonhas informou para o estadão.com.br que 13 vôos foram alterados na noite de quinta-feira, 7. Somente da TAM, foram 11 decolagens e 6 pousos transferidos. As assessorias de imprensa da Varig e da Gol não foram localizadas. O aeroporto encerra as operações às 23 horas, e muitos passageiros não conseguiram embarcar antes do fechamento de Congonhas. Na madrugada desta sexta-feira, alguns tentavam definir com as companhias aéreas se iriam para algum hotel para embarcar nesta manhã, ou se seguiram para Cumbica.  O gerente de estratégias de negócio, João Carlos Gianpietro, foi para Cumbica, e até a 1h45 ainda tentava embarcar com destino a Porto Alegre pela TAM. O vôo dele deveria ter saído às 21h57 de Congonhas, mas foi jogado para às 22h30. Depois de não conseguir decolar, o passageiro pegou um ônibus para Cumbica. "Nós entramos na aeronave e quando estávamos na cabeceira o piloto informou que o vôo não sairia mais porque o aeroporto de Congonhas já havia fechado. Passageiros que conhecem mais a rotina do aeroporto e que estavam no mesmo vôo me disseram que a empresa aérea, mesmo sabendo que não há tempo hábil para a decolagem, manda todos embarcarem para assim não sofrer penalizações", afirmou João Carlos.

Tudo o que sabemos sobre:
Congonhasaeroporto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.