Passageiros culpam até o prefeito

A exemplo de outros paulistanos da zona sul da capital, Antônio José, de 55 anos, estava revoltado ontem com os governantes.

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2011 | 00h00

"Que pouca vergonha desse governo do Estado e do prefeito!", dizia, sem saber que o serviço de trens não é de responsabilidade da Prefeitura.

Com o atraso, o caminhoneiro, que saía do Jardim Varginha para tentar um trabalho no Jaguaré, na zona oeste, perdeu o serviço em uma transportadora. "Na hora do voto, eles (os políticos) mentem. Depois, esquecem do povo."

Moradora do Jardim Lucélia, a auxiliar de enfermagem Andreia Barbosa, de 29 anos, entrou na fila do ônibus para o Brás, região central, depois de ironizar o governo do Estado.

"Quero ver se o governador tem um tempinho na agenda para atender à demanda da reunião (dos ferroviários)", disse ela, que trabalha no Hospital Oswaldo Cruz, na região da Avenida Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.