Passageiro leva até 3 horas para chegar em casa

Sem os trens da CPTM, moradores da Região Metropolitana de São Paulo, de cidades como Rio Grande da Serra, Itapevi e Mogi das Cruzes, levaram até três horas para chegar em casa. A maior parte deles nem sabia qual linha de ônibus pegar.

O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2013 | 02h06

"Minha vida inteira eu só vim de trem fazer compras aqui no Brás. Agora fiquei sabendo que vou ter de pegar uma linha até a Vila Prudente, depois mais uma até Santo André, e um outro ônibus até Rio Grande da Serra, onde eu moro", reclamava Suzete Pascoal Roceiro, de 69 anos, que carregava oito sacolas grandes de compras, sozinha.

Como ela, milhares de moradores de cidades vizinhas que faziam compras nos centros de comércio do Brás, da Rua 25 de Março e do Bom Retiro ficaram sem saber como voltar para casa.

"Agora o guarda me falou que preciso pegar três ônibus para chegar a Mogi das Cruzes. Só que o primeiro, até Guaianases, só passa de duas em duas horas aqui perto", contou Tatiana Rodrigues de Souza, de 28 anos. "Não faço ideia de que ônibus eu preciso pegar", emendou Gracie Domingues, de 27 anos, de Itapevi. Na zona sul, usuários da Linha 9-Esmeralda tiveram de andar 30 minutos até o ponto de ônibus mais próximo. / D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.