Passageiro é atingido no metrô por tiro acidental de PM

Um policial militar de folga e sem farda foi preso em flagrante na tarde de anteontem após sua arma disparar dentro de um trem do Metrô de São Paulo. A ocorrência foi na Linha 1-Azul, por volta das 15h45. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, o incidente aconteceu depois de uma briga. Testemunhas afirmaram que o policial, de 47 anos, aparentava estar embriagado. O disparo feriu, de raspão, a perna esquerda de um passageiro de 38 anos.

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2012 | 03h01

O boletim de ocorrência revela que o policial derrubou um pacote de balas deixado em seu colo por um vendedor ambulante, logo depois de ter entrado no trem. Após esse incidente, que chamou a atenção de todos, ele teria encarado outros usuários que estavam entrando na composição. Uma dessas pessoas começou a discutir com o agente.

Nesse momento, o policial sacou uma arma que estava em sua cintura. Alguns passageiros tentaram tirar a pistola de sua mão, "puxando-a de um lado para o outro". A composição estava se aproximando da Estação Luz, onde o PM foi preso em flagrante. Segundo a polícia, durante a confusão, o rosto dele foi ferido. Por isso, o policial teve de ser levado para o pronto-socorro da Santa Casa de Misericórdia, na Santa Cecília, região central.

O entregador que recebeu o tiro de raspão só se identificou a funcionários do Metrô na Estação Jabaquara. Ele também foi encaminhado a um pronto-socorro. O vagão e arma passaram por perícia. O PM e a vítima do disparo se submeteram a exames residuográficos e de corpo de delito. A ocorrência foi registrada na Delegacia do Metropolitano (Delpom), localizada na Estação Palmeiras-Barra Funda, na zona oeste, como disparo de arma de fogo e lesão corporal.

O policial foi levado para o Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte, onde ainda permanecia preso no início da noite de ontem. O Metrô informou que, apesar do tumulto na região da Luz, o trem continuou prestando serviços até a Estação Jabaquara, onde foi recolhido para que o vagão pudesse ser periciado. Não houve transtornos à operação, informou a empresa.

Ocorrências. O número de lesões corporais dolosas (com intenção) no Metrô e na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) cresceu nos quatro primeiros meses deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 112 casos em 2012, ante 98 no primeiro quadrimestre de 2011. Já as ocorrências culposas (sem intenção) subiram de 29 para 32.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.