Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Participação popular na gestão de árvores foi descartada

Em 2004, a Prefeitura de São Paulo lançou um programa inédito de participação popular na gestão dos espaços verdes da cidade, mas quase nada saiu do papel

Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2012 | 03h05

Em 2004, a Prefeitura de São Paulo lançou um programa inédito de participação popular na gestão das árvores e dos espaços verdes do Município. A ideia era que os moradores de cada bairro pudessem se unir para catalogar as árvores de suas vizinhanças e, em decisão colegiada, decidir sobre todos os cortes e podas que seriam feitos nesses exemplares. Oito anos depois, apenas a catalogação das árvores, que foi feita pela própria Prefeitura, saiu do papel.

 

1. Como funciona as autorizações para o corte e poda de árvores hoje?

Atualmente, fica a cargo de órgãos municipais como a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente ou das subprefeituras a decisão sobre pedidos de corte e poda de árvores. Eles são analisados por agrônomos, fiscais ou outros técnicos, que definem se autorizam o corte e se é necessário pedir compensações ambientais.

2. Como o projeto de 2004 mudaria isso?

Na época, o então secretário do Verde, Adriano Diogo (PT), anunciou que os moradores também participariam dessas decisões. A ideia era formar pequenos comitês responsáveis pela catalogação das árvores - eles percorreriam as ruas fazendo um inventário de cada exemplar - e depois seriam consultados quando cortes ou podas fossem solicitados.

3. Essa regra valeria para a cidade toda?

A ideia inicial era que o programa atingisse os bairros de Vila Nova Conceição, Cerqueira César, Alto da Boa Vista, Alto da Lapa, Paraíso, Pacaembu, Sumaré e Alto de Pinheiros. Eles foram escolhidos por terem grande concentração de árvores nas calçadas e por terem um elevado número de pedidos de poda e corte.

4. O que aconteceu com o projeto?

Ele foi anunciado em maio de 2004, faltando apenas sete meses para o fim da gestão Marta Suplicy (PT). "Era um projeto maravilhoso, que já estava em funcionamento desde um ano e meio antes do anúncio. Mas a nova administração, quando assumiu, não quis dar continuidade", afirma Diogo, que hoje é deputado estadual. O prefeito Gilberto Kassab (PSD) começou um novo projeto que prevê a catalogação das árvores (que já foi iniciada em todas as 31 subprefeituras), chamada de Identidade Verde, mas sem a participação dos moradores.

5.O que diz a Prefeitura?

A administração afirmou que terminou de tratar de todas as árvores detectadas como doentes naquela época e que vai contratar uma empresa para cadastrar 100 mil árvores. Disse também que cidadãos podem pedir podas e fazer reclamações pelo telefone 156.

A QUEM RECLAMAR

Prefeitura de São Paulo

http://sac.prefeitura.sp.gov.br

Ouvidoria Geral do Município

(11) 0800-175717

(11) 3334-7132

Ministério Público

(11) 3119-9000

ouvidoria@mp.sp.gov.br

Mais conteúdo sobre:
SP na Gaveta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.