Partes de corpos são encontradas em depósito de entulho a 30 km da cidade

Até a noite, mortos somavam 17 e 5 continuavam desaparecidos; alguns só serão identificados pelo DNA, diz chefe dos bombeiros

BRUNO BOGHOSSIAN , ALESSANDRA SARAIVA / RIO, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2012 | 03h03

O Instituto Médico-Legal do Rio recebeu ontem à noite partes de corpos encontradas por bombeiros no depósito de entulho retirado do desabamento dos três prédios na Avenida Treze de Maio, centro da cidade. Durante o dia, os bombeiros haviam iniciado a busca por despojos na área - para onde são levados os escombros -, localizada na Rodovia Washington Luís, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, a 30 km do local do acidente.

Segundo o IML, só por meio de exames será possível saber se os restos mortais são de uma ou mais pessoas. Ainda há cinco desaparecidos, mas restam poucos pontos no local do acidente onde podem ser encontradas vítimas. Até ontem, 17 corpos haviam sido achados. O comandante-geral dos bombeiros, coronel Sérgio Simões, admitiu a possibilidade de que mais vítimas tenham sido levadas por engano pelas escavadeiras ao depósito na Baixada. Na sexta-feira, um corpo foi encontrado ali.

"Eu não descarto a possibilidade (de haver outras vítimas nesse local)", disse Simões. "Em uma operação desse porte, essa possibilidade tem de ser considerada." O comandante afirmou também que o reconhecimento de algumas vítimas só poderá ser feito a partir de exames de DNA.

Simões lamentou as denúncias de desvio de bens sob os escombros. Ele, porém, não confirmou o roubo dos pertences.

Trabalho. Cerca de 95% do entulho já foi retirado do local do acidente, de acordo com estimativas do comandante. Os prédios desabaram na quarta-feira à noite. Na região do desabamento, as buscas continuarão até que todo o entulho seja retirado. Desde o início da manhã de ontem, as retroescavadeiras foram desligadas e nenhum corpo havia sido encontrado entre 2h20 e 23h. Cães farejadores também serão empregados na busca por corpos no depósito na Baixada.

Ainda existe a possibilidade de vítimas terem sido soterradas na parte dos fundos dos prédios, entre o Edifício Liberdade, o prédio anexo do Theatro Municipal e o prédio vizinho - onde já havia sido encontrado um corpo. As buscas também se concentraram em parte do vão de escadas do Edifício Liberdade.

A causa provável dos desabamentos é que o Edifício Liberdade tenha ruído por algum problema em sua estrutura e provocado a queda dos outros edifícios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.