MÁRIO ÂNGELO/SIGMAPRESS
MÁRIO ÂNGELO/SIGMAPRESS

Parte do Viaduto Santo Amaro será reaberta para ônibus

Segundo Haddad, o movimento de coletivos será monitorados por 15 dias para garantir que será possível abrir a outros veículos

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

24 Fevereiro 2016 | 17h52

SÃO PAULO - O Viaduto Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, será reaberto parcialmente, somente para ônibus, a partir das 5 horas desta quinta-feira, 25. A previsão inicial era de que a estrutura fosse demolida, após acidente envolvendo dois caminhões seguido de uma explosão, no dia 13, que danificou o elevado e o manteve fechado para a circulação de veículos desde então.

“Nada estrutural foi abalado de forma que nos impeça de fazer essa liberação”, afirmou o secretário municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, Roberto Garibe. “Baseado nos laudos, não tenho dúvidas de que aquele estrutura suporta a liberação que estamos fazendo, monitorada e restrita.”

A administração municipal se baseou em três laudos para permitir o trânsito sobre o viaduto: um feito pela empresa Concremat, outro pela Falcão Bauer e o último pelo professor da Universidade de São Paulo (USP) Pedro Afonso de Oliveira Almeida, engenheiro civil especialista em resistência de materiais.

De acordo com a Prefeitura, os laudos das empresas de engenharia já indicavam que o viaduto não precisaria ser demolido, mas o professor foi contratado para atestar os resultados. “Aguenta 100% (de movimento)? Aguenta. Mas a recomendação é começar gradualmente (a circulação sobre o elevado)”, disse o prefeito Fernando Haddad (PT).

Segundo Haddad, o movimento de coletivos no viário será monitorado durante 15 dias, por meio de equipamentos instalados na estrutura.

“De posse desse acompanhamento, vamos definir qual é a tecnologia que será adotada para a recuperação total do viaduto”, afirmou. “A gente está saindo de uma situação em que a demolição era provável. Agora, estamos economizando R$ 40 milhões que seriam gastos para refazer o viaduto se ele fosse implodido”, disse.

Obra. O custo para a recuperação da estrutura ainda não foi estimado e será arcado inicialmente pela Prefeitura. “Depois, entra-se com uma ação de ressarcimento aos responsáveis pelo acidente, quando eles forem identificados”, disse Haddad.

Acidente. A estrutura ficou comprometida após um acidente envolvendo dois caminhões seguido de uma explosão, na manhã de sábado, 13. Segundo informações dos agentes que atenderam o caso, o motorista de um dos caminhões, que carregava açúcar, estava na Avenida dos Bandeirantes e não parou quando o semáforo fechou no acesso à Santo Amaro. 

Ele disse que foi fechado por um carro de passeio. O motorista do caminhão-tanque acelerou logo que o sinal abriu e não percebeu que o outro caminhão não conseguiria parar. Logo em seguida, houve a explosão.

O Corpo de Bombeiros foi chamado e conseguiu controlar o incêndio. Os motoristas tiveram ferimentos leves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.