Parques de SP vão ficar abertos 1 hora a mais

Com o início do horário de verão, no sábado, 17 locais vão funcionar até mais tarde, incluindo Independência, Villa-Lobos, Carmo, Piqueri e Volpi

Viviane Biondo, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2010 | 00h00

A partir da meia-noite do próximo sábado, os ponteiros dos relógios das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão ser adiantados em uma hora para o horário de verão, que vai até 20 de fevereiro. Para que os paulistanos aproveitem os dias mais longos, 17 parques da capital paulista fecharão uma hora mais tarde.

O Parque da Independência, no Ipiranga, por exemplo, vai fechar às 21 horas. O Villa-Lobos, no Alto de Pinheiros, o Alfredo Volpi, no Morumbi, o Carmo, no Parque do Carmo, e o Piqueri, no Tatuapé, só fecharão às 19h.

Ao mesmo tempo que os dias ficam mais longos, aumenta a dificuldade para acordar nos primeiros dias do horário de verão. "Saio para trabalhar às 6h30 e ainda está escuro", reclama a publicitária Monica Martins da Costa, de 28 anos. Ela diz que leva duas semanas para se adaptar.

Para o endocrinologista Claudio Kater, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a reclamação de Monica é frequente. "É a luminosidade que avisa o organismo quando é hora de sono ou de vigília."

Flavio Alói, neurologista do Hospital das Clínicas de São Paulo, diz que a mudança do horário tem pouca interferência para o relógio biológico. "As pessoas atribuem a sensação de mais cansaço ao acordar ao novo horário, sem considerar o estresse diário, a ingestão de café ou de álcool em excesso ou o sedentarismo", diz. "Acaba sendo só um disparador de que o ritmo do organismo não vai bem."

Para contornar os efeitos, ele sugere, além de mudança de hábitos, dormir progressivamente mais cedo. "Quem deita à meia-noite pode ir às 23h45, depois às 23h30, e assim até as 23h."

Para as crianças, a alteração dos ponteiros é mais significativa só nos três primeiros dias. "Embora necessitem de horas de sono para o desenvolvimento, elas têm uma vida mais saudável e sem tantas preocupações", afirma Alói.

No Colégio Augusto Laranja, em Moema, a rotina será diferente na próxima semana. "As primeiras aulas são mais dinâmicas e há mais tolerância para atrasos no período da manhã", diz a coordenadora Beatriz Solera.

ATÉ MAIS TARDE

Até as 18h

Jardim Botânico

Até as 19h

Alfredo Volpi, Shangri-lá, Santo Dias, Cordeiro, Villa-Lobos, Colina de São Francisco, Parque do Carmo, Raul Seixas, Piqueri, Jardim Felicidade, São Domingos

Até as 20h

Severo Gomes, Vila Guilherme, Parque do Trote, Vila do Rodeio, zona leste

Até as 21h

Parque da Independência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.