Parque do Carmo muda de nome e ganha reforma

Com nova denominação, em homenagem a Olavo Setubal, espaço de lazer terá estruturas revitalizadas com dinheiro de banco

BRUNO RIBEIRO, DIEGO ZANCHETTA, O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2012 | 02h05

De nome novo desde o mês de julho, o agora Parque do Carmo - Olavo Egydio Setubal, na zona leste da cidade, deve ter parte dos equipamentos básicos reformados ainda neste ano. A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente costurou uma parceria com o banco Itaú-Unibanco para que a instituição financeira faça uma reforma no parque.

Ex-prefeito da capital, Olavo Setubal (1923-2008) foi também um dos principais acionistas do Itaú e presidente do conselho do banco. Segundo a instituição, serão instalados 17 bebedouros no parque - idênticos a modelos existentes no Parque do Ibirapuera, na zona sul da capital paulista - e haverá reformas de seis banheiros, da portaria e das guaritas de vigilância, além de mudança das placas de comunicação do parque, que agora terão o nome do prefeito e executivo.

A Prefeitura diz ainda que o Casarão do Carmo, imóvel localizado dentro do parque, que sofre com goteiras, terá esse problema sanado e receberá pintura e limpeza. Na próxima sexta-feira, haverá um evento para oficializar a mudança de nome do parque, segundo o Itaú.

De acordo com a Prefeitura, a reforma está estimada em R$ 1,5 milhão e as obras ficarão prontas em 120 dias. O serviço deve começar cinco dias após a assinatura do convênio. O prefeito Gilberto Kassab (PSD) já aprovou o acordo - o despacho foi publicado no sábado no Diário Oficial da Cidade. A falta da liberação impedia o secretário do Verde, Eduardo Jorge, de finalizar a parceria. "Os projetos foram devidamente analisados e aprovados pelos departamentos competentes desta pasta. A Subcomissão Permanente de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), da SPUrbanismo, também avaliou e aprovou o projeto", disse a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.

O texto não deixou claro se o banco poderá exibir seu logotipo nas placas - desde a implementação da Lei Cidade Limpa, é a CPPU que autoriza publicidade externa na capital.

Planetário de fora. Integrante do Conselho Regional do Meio Ambiente da Subprefeitura de São Mateus, Douglas Alves Mendes, no entanto, critica a parceria. Para ele, uma das principais atrações do parque, o Planetário do Carmo, está sucateado e deveria ter atenção especial da Prefeitura. "Essa reforma não adianta nada porque não resolverá os problemas do planetário", reclama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.