Parlamentares batem boca após novo adiamento

Com a falta de quórum também não foi possível votar o prazo para o fim das sacolas plásticas, projeto assinado por governistas e com apoio do prefeito. Irritados, governistas que resistiram no plenário começaram a acusar Aurélio Miguel, Milton eite e Antonio Carlos Rodrigues de representarem o lobby das indústrias do plástico. "O senhor é um animal truculento, não pense que é o dono dessa casa porque não é", disparou Gilberto Natalini (sem partido) para Rodrigues. "Quero ver você enumerar aqui as empresas e quem faz o lobby para o plástico", desafiou Miguel, que tentou defender Rodrigues. No fim, o presidente da Casa, José Police Neto (sem partido), tentou minimizar a crise. "Hoje pelo menos existe o debate nesta Casa, o que não havia antes."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.