Parentes de reféns e presos viveram a mesma agonia

Os cinco reféns eram monitores do Presídio São Luís e foram identificados como Luís Igor Mesquita Melo, Manoel Costa de Jesus Filho, Daniel Pereira Rodrigues, Carlos Araújo e José da Conceição.

Wilson Lima / SÃO LUÍS ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2010 | 00h00

Ao serem libertados, estavam bem fisicamente, mas muito abalados. Após deixar o presídio, foram levados ao UDI Hospital para exames.

Parentes de reféns e de detentos passaram a madrugada na frente ao presídio, em busca de informações.

"Ninguém falava nada. Ainda não consegui falar com meu parente interno, mas como ele não está na lista dos mortos, acho que tudo está bem", disse Ivana Morais Silva, parente de detento.

"Não é o melhor sentimento, mas, ao menos, estamos felizes porque meu irmão não foi ferido", descreveu o parente de um dos agentes feitos reféns, que preferiu não se identificar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.