Parentes das vítimas de acidente da TAM cobram investigação

Nos dias 16 e 17 de fevereiro, familiares vão discutir os avanços do inquérito policial e organizar caminhada

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

14 de fevereiro de 2008 | 14h14

Nos próximos dias 16 e 17 de fevereiro, familiares das vítimas do vôo TAM JJ3054 estarão reunidos no Hotel Sofitel, na Rua Sena Madureira, no Ibirapuera, zona sul de São Paulo. Será o sexto encontro das famílias depois do acidente com o Airbus da TAM, que matou 199 pessoas, no dia 17 de julho do ano passado. A programação do sábado, 16, tem seu foco no acompanhamento das investigações das causas do acidente e os avanços do inquérito policial que apura as responsabilidades pela tragédia. Às 11 horas, participarão da reunião com os familiares o diretor do Decap, Aldo Galiano, e o promotor público Mário Luiz Sarrubbo. Antes disso, às 9 horas, está programada uma reunião com a Defensoria Pública, Ministério Público e Procon de São Paulo, com a presença de representantes da TAM, para discutir a criação da Câmara de Conciliação proposta pelas autoridades para agilizar o pagamento extra-judicial das indenizações. O ponto alto da programação do encontro está reservado para a tarde de domingo, 17, quando a Afavitamrealizará uma grande mobilização em São Paulo por meio da Caminhada pela Vida, Verdade e Justiça. Participarão dezenas de entidades, sindicatos dos aeronautas e dos aeroviários, associações de moradores do entorno de Congonhas, associações de classe, famílias de vitimas e amigos do acidente com o vôo GOL 1907 (A.F.A.V. vôo 1907) e do vôo TAM 402 (Fokker/1996).  O objetivo dos organizadores é esclarecer e sensibilizar a sociedade para a necessidade de exigir soluções imediatas para a falta de segurança no transporte aéreo brasileiro. Para a Afavitam, nada mudou depois dos dois maiores acidentes da aviação brasileira, que resultaram na morte de 353 pessoas. A caminhada é uma resposta às autoridades que anunciaram publicamente mudanças radicais para garantir a segurança do sistema aéreo e, meses depois, de acordo com o presidente da Afavitam, Dario Scott, "cederam vergonhosamente aos interesses econômicos e políticos". A caminhada terá início às 15 horas. A concentração acontecerá às 14 horas, no Parque do Ibirapuera, em frente à Assembléia Legislativa. De lá, os manifestantes vão percorrer a Avenida Pedro Álvares Cabral, Avenida Rubem Berta, Viaduto José Muniz, Avenida Washington e terminando a caminhada no local onde caiu o jato da TAM. Lá, às 17 horas, ocorrerá um ato ecumênico, com a participação do padre Antônio Maria e representantes de outras crenças. 

Tudo o que sabemos sobre:
vôo TAM JJ3054familiares

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.