Parceria com a PM expulsa camelôs em cinco bairros

Mais uma região da capital está livre das barracas de ambulantes. A Rua Voluntários da Pátria, em Santana, zona norte, foi uma das cinco áreas a receber policiais militares para coibir o comércio irregular. Agora só se vê bancas de vendedores com licença da Prefeitura.

Luiz Guilherme Gerbelli, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2010 | 00h00

O novo quadro é resultado de parceria firmada no fim de maio entre o prefeito Gilberto Kassab (DEM) e a Polícia Militar. Além de Santana, fazem parte da iniciativa os bairros de Vila Mariana,zona sul, Lapa, Pinheiros, zona oeste, e Casa Verde, zona norte. São 1.250 PMs na operação.

Segundo lojistas, a presença da polícia é constante e a queda no número de ambulantes é grande. "A calçada ficava cheia. Eles sumiram com o aumento da presença da polícia", diz a comerciante Gislene Deodoro, de 28 anos. Na Rua 12 de Outubro, na Lapa, os camelôs também desapareceram. No entanto, os lojistas avaliam que a saída dos camelôs colaborou para a queda no faturamento do comércio. "Desde que eles saíram, o movimento diminuiu", fala a atendente Sônia Maria da Silva, de 39 anos.

Conhecida como bico oficial, a ação começou em dezembro de 2009 e abrangeu, inicialmente, o centro da cidade. Os policiais participam da fiscalização nos horários de folga e são remunerados. Segundo o coronel Marques Chaves, ainda não há balanço dos efeitos do bico oficial nas cinco regiões. Os resultados serão divulgados quando a operação completar dois meses. "A ação deverá ser positiva como ocorreu no centro", afirma.

No centro, a presença da polícia reduziu os furtos e roubos. Na Rua 25 de Março, as quedas foram de 32% e 66%, respectivamente, segundo a PM. Na Rua José Paulino, o registro de furto caiu 75% e o de roubo, 25%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.