Paralisação afetou postos

Os motoristas de caminhão entraram em greve no dia 5 de março do ano passado em reação à restrição aos veículos pesados de carga na Marginal do Tietê. Os autônomos interromperam por dois dias a distribuição de combustível na Grande São Paulo - alguns postos ficaram sem gasolina, etanol ou diesel. Na época, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) disse que os grevistas eram "chantagistas". Foi preciso que a Polícia Militar escoltasse os caminhoneiros dispostos a entregar combustível, mas a situação só melhorou com o fim da greve, no dia 8.

O Estado de S.Paulo

08 Março 2013 | 02h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.