Parada Gay terá interdições na Avenida Paulista e rua da Consolação

A concentração terá início no sentido Consolação, próximo ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). A passeata, que ocorrerá entre 12 e 18 horas, seguirá até a praça Roosevelt

O Estado de S. Paulo

07 Junho 2015 | 05h00

SÃO PAULO - A 19ª edição da Parada do Orgulho LGBT terá concentração hoje, a partir das 11h, na Avenida Paulista. Com o tema "Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim, respeitem-me!", a caminhada deverá ocorrer das 12h às 18h o evento neste ano terá como objetivo promover "a alegria de viver as diferentes identidades, orientações sexuais e o respeito à diversidade". Em 2013, o evento foi considerado pela SPTuris como o segundo maior da capital, atrás apenas da Virada Cultural.  Veja as programações oficial e paralela do evento. 

A concentração terá início no sentido Consolação, próximo ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). A passeata, que ocorrerá entre 12 e 18 horas, seguirá até a praça Roosevelt.

Os ônibus que passam pelas vias bloqueadas irão utilizar de desvios para operar normalmente. Já o Metrô terá maior oferta  de trens nas linhas 1, 2 e 3.

A Companhia de Engenharia do Tráfego (CET) informou que desde às 6 horas fará interdição da Avenida Ipiranga, entre a Avenida São João e a Avenida São Luís. Já a Avenida Paulista fica fechada desde às 10h, no sentido Consolação, no trecho entre a rua Teixeira da Silva e Rua Augusta; no sentido contrário, a interdição estará entre a rua Padre João Manuel e a Avenida Brigadeiro Luís Antonio. 

Já a partir das 12h, os bloqueios ocorrem na rua da Consolação, ambos os sentidos, entre a Alameda Santos e a Avenida Ipiranga; também haverá interdição da rua Rego Freitas, entre a Consolação e a rua Major Sertório. O último ponto fechado será na Avenida Ipiranga, entre a rua da Consolação e a Avenida São Luís. 

Corte de verba. A Prefeitura de São Paulo cortou em 35% a previsão de verbas para a Parada Gay neste ano. O valor investido na edição de 2015 do evento será de R$ 1,3 milhão, ante R$ 2 milhões reservados no ano passado. Para reduzir os gastos, a administração municipal deixou de financiar a feira cultural LGBT, que ocorre dias antes da Parada, e o camarote vip da Prefeitura. O corte de recursos está ligado às restrições orçamentárias do governo municipal. 

Mais conteúdo sobre:
parada lgbt parada gay masp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.