Para vips, encontro com ídolo já começou à tarde

Os portões do Estádio do Morumbi, na zona sul paulistana, ainda não tinham sido abertos para o público, mas 200 pessoas vips, que compraram um ingresso de US$ 1.400, já estavam lá dentro desde o meio-dia. Participaram de um almoço vegetariano organizado pela produção de Paul McCartney e, entre as 16h40 e as 17h30, puderam assistir à passagem de som do ex-beatle, que cantou músicas que estão fora do repertório do show.

Lucas Nobile, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2010 | 00h00

Sir Paul tocou Penny Lane e Magical Mistery Tour (Beatles) e Bluebird (do Wings), entre outros sucessos de sua carreira. Em Porto Alegre, essa passagem de som durou uma hora e meia. Em São Paulo foi mais curta, porque o cantor inglês se atrasou para sair do Grand Hyatt Hotel e chegar ao Estádio do Morumbi.

Segundo quem estava dentro do estádio e teve o privilégio de assistir ao ensaio, Paul parecia um pouco tenso e desconfortável em função de seu atraso para começar a passagem de som e em decorrência do calor forte que fazia ontem na cidade. O ex-beatle vestia roupa preta.

Filão. O ingresso especial de US$ 1.400 foi vendido aos fãs diretamente no site oficial do ídolo. Pacotes como esse - com ingressos caros, mas regalias e conforto extra - viraram um filão do show bizz. E têm acontecido em turnês de vários artistas, em várias partes do mundo.

Um pouco depois das 17h30, foram abertos os portões do Morumbi para o público em geral. A esta altura, as filas em torno do estádio já estavam gigantescas, ocupando praticamente todas as ruas próximas. Os 128 mil ingressos vendidos para os dois shows esgotaram.

Às 19 horas, o DJ Maurício Valadares começou a tocar. O show de Paul não teve banda de abertura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.