Para ter sucesso, proposta precisa ser focada e específica

ANÁLISE

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2013 | 02h00

A redução da maioridade penal é um tema que não consegue andar porque, assim como a unificação das polícias, é uma discussão muito ampla e a sociedade não tem consenso. Não se faz as coisas sem conversar com todo mundo. A saída talvez seja pegar um ponto específico e fazer a proposta andar. Quanto mais focada e específica essa proposta for, maior chance ela terá de conseguir o consenso necessário.

A proposta de alteração do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) tem a vantagem de ser pontual. A negociação e a discussão são mais específicas, o que deve deixar o processo mais fácil. É possível fazer alguma coisa para os jovens de 16 anos que cometem crimes. E o encarceramento, em alguns casos, pode ajudar.

* Leandro Piquet Carneiro é pesquisador do núcleo de políticas públicas da USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.