Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Para sindicalista, fechamento do Center Norte deve durar de 'dois a três dias'

Shopping tem de instalar nove drenos para a dispersão do metano existente no subsolo

FÁBIO MAZZITELLI, O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2011 | 03h18

SÃO PAULO - O presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo, Ricardo Patah, afirma acreditar que o fechamento do Center Norte deve durar “de dois a três dias”, se a reabertura só depender do processo de adequação do shopping às exigências ambientais para reduzir a presença do gás metano no estabelecimento e assim torná-lo mais seguro para o público.

O tempo estimado pelo sindicalista tem como base as conversas de que participou com representantes do shopping e da Prefeitura - o sindicato pede garantias de segurança e também de trabalho para os 6 mil funcionários do Center Norte.

“Como eles tinham escolhido ir à Justiça, estavam trabalhando nisso só de madrugada, na hora em que o shopping não tinha público. Fizeram isso umas quatro noites, pelo menos. Agora, esse trabalho de recuperação vai ser mais rápido”, afirma Patah. “Acredito que o shopping vá fazer esse mutirão e ficar 24 horas trabalhando nisso. Se eles quiserem, eles conseguem liberar rápido. E agora eles querem”.

Segundo Patah, diante do impasse ambiental, o secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente, Eduardo Jorge, chegou a propor na semana passada o fechamento do shopping para acelerar a instalação dos nove drenos para a dispersão do metano existente no subsolo, medida que vale inclusive para áreas internas do empreendimento. Na ocasião, entretanto, a direção do Center Norte ignorou a sugestão, alegando que isso traria prejuízo financeiro, e foi à Justiça para conquistar o direito de manter o shopping aberto - batalha perdida por ora pelo empreendimento com a extinção do processo decidida nesta terça-feira, após recurso apresentado pela Procuradoria-Geral do Município.

Pela lógica da proposta feita pelo secretário municipal do Meio Ambiente, o shopping fechado anteciparia a solução do problema porque permitiria trabalhar dia e noite nas adaptações ambientais, compromisso firmado em acordo com o Ministério Público Estadual - a Promotoria deu 20 dias para o cumprimento, prazo que expira em 17 de outubro.

Em comunicado destinado aos funcionários, a direção do Center Norte afirma que “continuará a tomar as medidas cabíveis para continuar com as suas portas abertas” e informa que vai concluir a instalação dos drenos “antes do prazo”.

Pelo acordo fechado com a Promotoria, será necessária também a apresentação de um plano de monitoramento da área exigido pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). O Center Norte fica sobre um antigo aterro sanitário, local em que foi detectada a presença de metano. Embora não seja tóxico, o gás é altamente inflamável e pode causar uma explosão com fagulhas quando está em concentrações de 5% a 15% do ambiente. No shopping, segundo a Cetesb, há um potencial risco de explosão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.